Saltar para o conteúdo principal

Publicidade

Publicidade

 
 
  Siga a Folha de S.Paulo no Twitter
13/11/2010 - 16h07

Libertação de Suu Kyi abre caminho para redemocratização do país; ouça análise

Publicidade

DE SÃO PAULO

A Junta Militar de Mianmar libertou neste sábado (13) a pacifista e prêmio Nobel da Paz Aung San Suu Kyi, 65. Ela estava presa em casa desde 2009 por abrigar um ativista americano.

Ouça a Rádio Folha
Acompanhe a Folha no Twitter
Conheça a página da Folha no Facebook
Suu Kyi foi libertada incondicionalmente, diz governo de Mianmar

Esta foi a quarta prisão de Suu Kyi. Ela foi presa pela primeira vez em 1989, um ano antes da realização das eleições gerais que seriam vencidos por seu partido. Solta em 1995, foi presa novamente em 2000 e depois em 2003.

O editor de Mundo da Folha, Fábio Zanini, faz uma análise sobre a libertação de Suu Kyi e a compara a Nelson Mandela. "Ganhou o Nobel da Paz pela resistência pacífica ao regime autoritário e por isso acabou afastada do convívio da sua família", conta Zanini. Para ele, "A libertação da ativista abre caminho para a redemocratização do país".

Fabio Zanini

 

Publicidade

Publicidade

Publicidade


 

Voltar ao topo da página