Descrição de chapéu Governo Trump

Após ameaça de veto, Trump assina novo orçamento federal dos EUA

Projeto disponibiliza R$ 4,3 tri para o governo americano se financiar até o fim de setembro

Washington | Reuters e Associated Press

O presidente americano Donald Trump assinou nesta sexta-feira (23) o projeto aprovado na madrugada pelo Congresso que estabelece um novo orçamento para o governo federal. Mais cedo, ele tinha ameaçado vetar a lei. 

O projeto, aprovado com apoio de democratas e republicanos, libera gastos de US$ 1,3 trilhão (R$ 4,3 trilhões) até o final de setembro. Caso o presidente não assinasse até a meia noite desta sexta, o governo ficaria sem dinheiro para funcionar e seria obrigado e entrar em paralisação pela terceira vez no ano. 

Donald Trump durante entrevista na Casa Branca sobre o orçamento, tendo a sua frente o projeto aprovado no Congresso
Donald Trump durante entrevista na Casa Branca sobre o orçamento, tendo a sua frente o projeto aprovado no Congresso - Pablo Martinez Monsivais/Associated Press

O presidente disse que aceitou assinar por uma questão de defesa nacional e que não vai aprovar projetos semelhantes no futuro.  A nova lei prevê um aumento nos gastos militares, prioridade de Trump, e em programas domésticos —uma exigência da oposição.   

 
Na manhã desta sexta, pouco após o texto passar por deputados e senadores, Trump surpreendeu os congressistas ao afirmar nas redes sociais que estudava a possibilidade de vetar a medida —ele tinha indicado na quarta (21) apoio ao projeto. 
 

Em seu tuíte, o presidente criticou o projeto por este não prever verbas para a construção completa de um muro na fronteira com o México e não trazer uma solução para a questão dos "dreamers" (sonhadores), como são chamados os imigrantes que chegaram ainda criança ao país.

"Estou considerando um veto da Lei Orçamentária com base no fato de que os 800 mil beneficiários do Daca foram totalmente abandonados pelos democratas (nem sequer mencionados na lei) e o muro na fronteira, que é essencial para nossa defesa nacional, não é totalmente financiado", escreveu ele ao ameaçar o veto.  

O Daca era o programa criado durante o governo de Barack Obama que permitia aos "dreamers" continuarem a viver no país e que foi cancelado por Trump. 

No fim, porém, o presidente acabou assinando a medida, que tenta por fim as disputas orçamentárias que monopolizaram Washington nos últimos meses. Foram 65 votos a favor e 32 contrários no Senado, em uma votação que terminou às 0H30 (1h30 de Brasília) e ocorreu apenas horas depois do texto ter passado na Câmara com apoio de 256 deputados e oposição de 167.

O orçamento do governo federal já deveria ter sido aprovado em outubro de 2017, mas a falta de acordo entre os paridos impediu a sua votação.

A solução encontrada pelo Congresso foi aprovar apenas orçamentos emergenciais, que definiam a verba do governo em um curto prazo. Com isso, cada vez que o dinheiro estava próximo de acabar, deputados e senadores tinham que voltar a mesa de negociações para aprovar um novo projeto.

Esta dinâmica levou a duas paralisações do governo, uma de três dias em janeiro e outra de nove horas em fevereiro, quando os congressistas não conseguiram chegar a um acordo a tempo. Apesar das críticas feitas a todos esses projetos, Trump não vetou nenhum deles.  

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.