Descrição de chapéu Venezuela

Maduro diz que Rússia investirá R$ 23 bilhões na Venezuela

Acordos seriam nas áreas de petróleo e de mineração

O presidente russo, Vladimir Putin (dir), recebe o ditador venezuelano, Nicolás Maduro, em Moscou - Maxim Shemetov/Associated Press
Moscou

O ditador venezuelano, Nicolás Maduro, anunciou nesta quinta-feira (6) a assinatura de acordos da ordem de US$ 6 bilhões (R$ 23 bilhões) em investimentos russos nos setores do petróleo e de mineração, durante visita a Moscou. 

"Foi uma jornada intensa de trabalhos. Estamos garantindo um investimento petrolífero de mais de US$ 5 bilhões", afirmou Maduro em declarações à TV estatal venezuelana VTV, além de "contratos de mais de US$ 1 bilhão" para a exploração de ouro".

Maduro se reuniu na quarta com o presidente russo, Vladimir Putin, em uma ofensiva diplomática para buscar apoio internacional diante da crise econômica e das sanções financeiras impostas pelos EUA contra o país. Putin prometeu apoiar "seus esforços". 

Nesta quinta, Maduro manteve encontros com empresários. 

Sem especificar prazos, Maduro afirmou que os investimentos russos na área petrolífera terá como foco "empresas mistas" com o objetivo de elevar a produção do país sul-americano em "quase um milhão de barris". 

A produção caiu de 3,2 milhões para 1.1 milhões de barris diários na última década, segundo a Opep. 

"Também assinamos contrato para garantir 600 mil toneladas de trigo para o pão do povo da Venezuela", expressou Maduro em um vídeo publicado em uma rede social. 

Durante uma visita a Pequim em setembro Maduro prometeu aumentar em 1 milhão de barris diários as exportações petroleiras destinadas à China, com investimentos correspondentes de US$ 5 bilhões.

Antes da viagem à Rússia, Maduro se encontrou na segunda em Caracas com o presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, e nos dias anteriores havia recebido o chanceler do Irã, o aiatolá Sultani, e o presidente da Assembleia Suprema da Coreia do Norte, Kim Yong-nam.

Maduro afirmou ainda que a partir de 2019 venderá sua produção de petróleo na criptomoeda petro, em vez do dólar.

"Vamos vender progressivamente toda a nossa produção petroleira em petro. No ano de 2019 teremos um programa, um cronograma para que toda a produção petroleira da Venezuela seja vendida em petro e assim vamos nos liberando de uma moeda que utiliza a elite de Washington para chantagear, agredir os povos do mundo, gerar danos econômicos", afirmou em Moscou, segundo o jornal El Universal.

AFP

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.