Brasil 'não será mais refúgio de bandidos na capa de presos políticos', diz Bolsonaro

Presidente falou em Davos sobre a recente extradição do italiano Cesare Battisti

Lucas Neves
Davos

O presidente Jair Bolsonaro disse em Davos, na tarde desta terça-feira (22), que o Brasil "não será mais refúgio de criminosos ou de bandidos [escondidos] na capa de presos políticos".

Ele se referia à recente extradição do italiano Cesare Battisti, condenado pela morte de quatro pessoas em seu país de origem, nos anos 1970 —quando militava no grupo Proletários Armados pelo Comunismo.

O presidente Jair Bolsonaro discursa em plenária do Fórum Econômico Mundial, em Davos, nesta terça (22)
O presidente Jair Bolsonaro discursa em plenária do Fórum Econômico Mundial, em Davos, nesta terça (22) - Fabrice Coffrini/AFP

O italiano viveu por anos no Brasil antes de ser preso na Bolívia e mandado para Roma.

A declaração foi dada em resposta à pergunta de uma jornalista italiana, no centro de convenções de Davos, QG do Fórum Econômico Mundial, onde Bolsonaro discursou duas horas antes.

Quando outro repórter italiano quis saber se o presidente mudara de ideia sobre mulheres e gays, alvos de comentários depreciativos durante a campanha, Bolsonaro se limitou a dizer: "Nada disso é verdade. Tanto que fui eleito."

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.