Descrição de chapéu Governo Bolsonaro

No G20, Bolsonaro diz ter falado sobre 'psicose ambientalista' contra Brasil a líderes

Presidente afirmou ter usado o termo em reuniões com Merkel e Macron

Talita Fernandes
Osaka (Japão)

Pressionado por lideranças europeias por sua política ambiental, Jair Bolsonaro (PSL) disse ter falado sobre a existência de uma "psicose ambientalista" contra o Brasil aos líderes europeus com quem se reuniu na sexta-feira (28) no G20.

Bolsonaro disse ter usado o termo ao discutir política ambiental com a chanceler Angela Merkel, e o presidente francês, Emmanuel Macron. 

"Eu falei para ela [Merkel] da 'psicose ambientalista' que existe para conosco", disse, acrescentando ter tido diálogo semelhante com Macron.

Antes de chegarem ao G20, tanto Merkel quanto Macron fizeram críticas públicas ao presidente brasileiro sobre seu posicionamento em relação ao ambiente.

Segundo Bolsonaro, o termo 'psicose ambientalista' foi retirado de um livro, mas ele não soube explicar qual.

Ao relatar o tom da conversa com Merkel, o presidente brasileiro disse duas vezes que a alemã "arregalou os olhos" durante o breve encontro que, segundo ele, "foi fortuito".

O presidente se queixou de que os europeus sempre trataram o Brasil de "forma colonialista" em gestões anteriores, querendo ditar regras.

Porém, disse que tanto Merkel quanto Macron estão certos em cobrar do Brasil uma postura ambiental por estarem defendendo os interesses de seus países.

Bolsonaro contou ainda que fez convites aos dois líderes europeus. Ao francês, propôs uma viagem pela região amazônica brasileira e, à alemã, uma exploração sustentável da Amazônia. 

Como resposta, disse que Merkel "arregalou os olhos de novo".

"Não é porque eles destruíram as matas deles que vamos destruir as nossas. Convidei a Merkel a explorar de forma sustentável nossa Amazônia, ela arregalou os olhos também."

O presidente disse que "no momento", o Brasil está no acordo de Paris, mas que alertou a chanceler alemã que nem seu país vai cumpri-lo por ainda ter uma indústria focada em energia fóssil.

"O que cada brasileiro bota para fora e produz de CO2, o alemão é quatro vezes mais", afirmou.

Segundo dados do Banco Mundial, a Alemanha foi responsável por emitir 8,9 toneladas de CO2 (dióxido de carbono) em 2014, contra 2,6 do Brasil. 

Merkel disse no início da semana "estar muito preocupada" com o desmatamento no Brasil e que teria uma conversa clara com o Bolsonaro no G20 sobre o assunto.

Segundo o presidente, Merkel disse que justamente porque a Europa destruiu suas florestas no passado não quer que o Brasil faça o mesmo agora.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.