Descrição de chapéu Venezuela

Novo apagão atinge Caracas e várias regiões da Venezuela

Governo atribui falhas a um 'ataque eletromagnético'; estatal relata avaria em sistema da capital

Caracas | AFP e Reuters

Caracas e várias regiões da Venezuela sofreram uma apagão de grandes proporções na tarde desta segunda-feira (22). 

A estatal Corporação Elétrica Nacional (Corpoelec) informou ter havido uma avaria afetando setores da capital, mas relatos em redes sociais apontavam falta de eletricidade em pelo menos metade dos 23 estados do país. 

O ministro da Comunicação, Jorge Rodríguez, atribuiu o apagão a um "ataque eletromagnético", sem, contudo, apresentar evidências.

"Os primeiros indícios recebidos da investigação em Caroni [região no sul da Venezuela] apontam para a existência de um ataque de caráter eletromagnético que teve como objetivo afetar o sistema de geração hidrelétrica da Guiana", disse. 

Rodríguez afirmou ainda que as autoridades estavam trabalhando para restabelecer o fornecimento de energia. 

"Sinto indignação. Não foram feitas as correções necessárias e é sempre mais do mesmo. Isso se este  [apagão] não for pior que os anteriores", afirmou Eurimar Güere, 36, após deixar o escritório em Caracas.

"Aterroriza-me que estejamos sofrendo outro apagão nacional", disse a empresária Maria Luisa Rivero, 45, de Valencia, no estado de Carabobo. "A primeira coisa que fiz foi correr para congelar toda minha comida para não perder tudo como da outra vez."

Os semáforos ficaram apagados, o que gerou imensos engarrafamentos; rios de pessoas caminhavam pelas vias da capital devido ao fechamento das estações de metrô. 

"Tentaram esconder a tragédia com racionamentos em todo o país, mas o fracasso é evidente: destruíram o sistema elétrico e não têm respostas", afirmou o líder opositor Juan Guaidó

A energia foi reestabelecida por cerca de dez minutos em partes do estado de Bolívar, no sudeste do país, onde fica a central hidrelétrica de Guri, a principal fonte de geração de energia da Venezuela. 

Em março, um apagão paralisou todo o país durante uma semana, provocando um colapso do fornecimento de água e a suspensão das aulas e do trabalho.

Na ocasião, o governo do ditador Nicolás Maduro atribuiu a queda de energia a “ataques terroristas” contra a central hidrelétrica de Guri.

Em abril, um novo apagão durou algumas horas e afetou parte do país. 

No início deste mês, Maduro demitiu o ministro da Energia, Luis Motta, após a série de falhas no fornecimento de energia. 

O sistema de energia elétrica venezuelano sofre há anos de falta de manutenção adequada e de investimentos, segundo a oposição e especialistas. 

"Esses apagões são catastróficos", disse a zeladora Bernardina Guerra, 51, que mora em Caracas. "Eu moro na região leste da cidade e lá falta luz todos os dias. As coisas estão piorando cada dia mais", disse. 

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.