Apenas alpinistas com experiência poderão escalar o Everest, define governo do Nepal

Novas regras foram criadas após mortes devido a filas no cume da montanha mais alta do mundo

Katmandú (Nepal) | Reuters

Para escalar o Everest e outras montanhas do Nepal, será necessário comprovar experiência em escalada em altitudes elevadas, determinou nesta quarta-feira (14) uma comissão formada pelo governo do país.

A mudança ocorre após a morte ou desaparecimento, em maio, de 11 alpinistas na montanha de 8.850 metros —nove no lado nepalês e dois no lado tibetano. A imagem de uma fila de pessoas esperando sua vez de chegar ao cume rodou o mundo. 

"Alpinistas de Sagarmatha [nome nepalês do Monte Everest] e outras montanhas de 8.000 metros devem passar por treinamento básico e de altitude elevada", apontou a comissão, em um relatório enviado ao governo.

O documento determina que aqueles que querem escalar o Everest deverão subir antes ao menos um pico nepalês acima de 6.500 metros para então obter a permissão.

Os alpinistas também precisarão apresentar um atestado de boa saúde e condicionamento físico e devem ser acompanhados por um guia nepalês treinado.

Ghanshyam Upadhyaya, alto funcionário do Ministério do Turismo, disse que as recomendações serão implementadas. "O governo fará agora as mudanças necessárias nas leis e regulamentos que guiam o alpinismo", disse.

Mira Acharya, membro da comissão, afirmou que "os alpinistas morreram devido a doenças favorecidas pela altitude —ataque cardíaco, exaustão ou fraqueza—, e não devido a engarrafamentos".

Ela ainda disse que a provisão compulsória de guias para cada escalador deve desencorajar tentativas individuais que colocam vidas em risco.

Outras medidas incluem aprimorar o sistema de previsão do tempo e a fixação de cordas de segurança ao longo do trajeto, de modo a dar mais tempo para que os alpinistas façam a escalada. 

A comissão, formada por funcionários do governo, especialistas em escalada e agências representando alpinistas, foi criada depois que escaladores e guias criticaram as autoridades devido às mortes na montanha. Pelas regras anteriores, qualquer pessoa que pagasse US$ 11 mil (cerca de R$ 44 mil) poderia escalar o Everest.

O Nepal emitiu 381 licenças para subir a montanha na temporada de escalada deste ano, que costuma ter seu auge em maio, quando há mais horas de luz do dia e o clima é mais tolerável.

A grande quantidade de pessoas que tentaram subir o Everest gerou uma aglomeração na chamada zona de morte, onde o ar é muito rarefeito. A fila chegou a ter cem pessoas, que colocaram suas vidas em risco, pois a espera consumia as reservas dos tanques de oxigênio além do previsto. 

O Nepal possui oito das 14 montanhas mais altas do mundo, e a escalada de montanhas é uma fonte importante de emprego e renda para o país.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.