Patinetes elétricas precisam ser pescadas no Sena, em Paris

Patrulha de limpeza é um subproduto da explosão global de patinetes elétricas compartilhadas

Paris | Reuters

A proliferação das patinetes elétricas compartilhadas em Paris originou uma nova profissão na capital francesa: pescador de patinetes.

Na última sexta, Youva Hadjali, que trabalha para a startup de patinetes Lime, estava às margens do rio Sena, à sombra da Torre Eiffel, pescando da água as patinetes descartadas e cobertas de lama.

Funcionários da Lime pescam e recolhem patinetes elétricas descartadas no rio Sena - Pascal Rossignol/Reuters

Usando bermuda, tênis e moletom, ele jogou uma corda com um gancho de metal no rio, puxou até pegar uma patinete, e a arrastou para fora da água. Durante três horas na margem do Sena, ele e seus colegas conseguiram retirar 15 patinetes, todas cobertas de lama e algas.

A empresa diz que, sempre que possível, recicla as que são recuperadas.

Essa patrulha de limpeza é um subproduto da explosão global de patinetes elétricas compartilhadas que ajudou a transformar a mobilidade urbana, mas que também provoca reclamações de pessoas incomodadas com ruas cheias de patinetes que são estacionadas ou descartadas de forma descuidada pelas cidades.

"Eu ando pelo rio Sena todos os dias e, nos últimos dois anos, ele realmente ficou muito sujo", afirmou Corinne Ducrey, moradora de Paris, que assistiu Hadjali e sua equipe realizarem a limpeza. "É uma ideia muito boa. [Mas] devemos educar as pessoas para que as patinetes elétricas não acabem jogadas no rio --o que seria ainda melhor."

Na capital francesa, existem cerca de 20.000 patinetes de aluguel fornecidas por uma dúzia de empresas. A prefeita da cidade, Anne Hidalgo, chegou a descrevê-las como "anárquicas", e a ministra dos Transportes, Elisabeth Borne, disse que a cidade estava experimentando "a lei da selva".

Para tentar restaurar o controle, as autoridades começaram, neste ano, a cobrar das operadoras uma taxa para alugar as patinetes, e estão aplicando multas para os usuários que são pegos estacionando no lugar errado ou andando nas calçadas.

A Lime montou uma equipe de trabalhadores, chamada patrulha urbana, que vasculha as ruas e vias fluviais de Paris para limpá-las, retirando as patinetes descartadas ou mal estacionadas. "Colaboramos estreitamente com a prefeitura, pois precisamos ter um bom relacionamento com eles", declarou o chefe da equipe, Sonthay Detsaboun.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.