Bolsonaro vai a templo hindu e come arroz e macarrão à bolonhesa em 1º dia na Índia

Presidente, que qualificou comida como excelente, está no país para anunciar quase 20 acordos bilaterais

Déli

O presidente Jair Bolsonaro foi a um templo hindu e comeu arroz e macarrão à bolonhesa em seu primeiro dia de visita oficial à Índia. Ele está no país para anunciar quase 20 acordos bilaterais, o mais importante deles visa dar segurança jurídica a investidores indianos no Brasil —e a brasileiros na Índia. 

Bolsonaro chegou por volta das 16h (9h30 no horário local) ao hotel em que está hospedado, em Déli. Nas proximidades do local há cartazes com fotos do presidente brasileiro e do primeiro-ministro Narendra Modi, acompanhadas dos dizeres "bem-vindo" em português e em hindi.

Dançarinas tradicionais indianas se apresentam antes da chegada de Jair Bolsonaro a Déli - Prakash SINGH/AFP

O brasileiro foi recebido no hotel com uma guirlanda de flores, ornamento típico hindu, e um bindi, marquinha feita com cúrcuma na testa.

Mais tarde, Bolsonaro foi ao Akshardham, maior templo hindu construído neste século, pertencente à seita Swaminarayana, do guru Sahajanand Swami.

Em 2017, Modi levou o primeiro-ministro australiano, Malcolm Turnbull, a este templo.

Depois, o presidente brasileiro visitou o mercado Dilli Haat com a filha, Laura, 9, e Letícia Firmo, 16 —ela é a filha mais velha da primeira-dama Michelle, fruto de seu casamento anterior. O local reúne artesãos de vários estados da Índia e vende xales, cerâmicas, quadros e tecidos.

Bolsonaro afirmou não ter comprado nada no mercado. “Eu não compro nada, sempre viajo com US$ 1.000 e volto com US$ 660 —sem usar cartão corporativo.”

Por fim, foi comer em um restaurante que, segundo ele, foi escolhido pela equipe da segurança presidencial. “Comi arroz, macarrão à bolonhesa. Comida boa, excelente comida”, disse.

No sábado (25), o presidente participa de reuniões com o primeiro-ministro Narendra Modi e outras autoridades indianas e de um banquete oferecido pelo anfitrião.

No dia seguinte, Bolsonaro será o convidado de honra do desfile do Dia da República na Índia.

Já no último dia da viagem, na segunda-feira (27), abre um seminário empresarial Brasil-Índia. De lá, irá para o Taj Mahal, um dos principais pontos turísticos do país, que será fechado para o presidente e sua comitiva.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.