Se eleito, Bloomberg venderá empresa de comunicação, diz porta-voz

Candidato estreia hoje em debate democrata em Las Vegas

Washington | Reuters

O pré-candidato democrata à presidência Michael Bloomberg venderá a Bloomberg LP, empresa de comunicação que o tornou bilionário, caso seja eleito para a Casa Branca em novembro, informou um porta-voz de sua campanha na terça (18).

A Bloomberg LP inclui uma agência de notícias, um canal de televisão, sites, estações de rádio, newsletters e duas revistas. Emprega cerca de 20 mil pessoas em 167 locais.

O próprio Bloomberg já havia aventado essa possibilidade anteriormente.

Ex-prefeito de Nova York e pré-candidato democrata à Presidência, Michael Bloomberg
Ex-prefeito de Nova York e pré-candidato democrata à Presidência, Michael Bloomberg - Jeff Kowalsky - 4.fev.20/AFP

O ex-prefeito de Nova York vem crescendo nas pesquisas de opinião desde que entrou na disputa pela indicação democrata em novembro. Ele participa de seu primeiro debate nesta quarta (19), em Las Vegas, na busca pela nomeação para enfrentar Donald Trump nas eleições.

Além de notícias, a Bloomberg LP fornece informações financeiras a empresas de Wall Street.

É uma companhia de capital fechado, tendo o próprio Bloomberg como principal proprietário. Ele fundou a firma em 1981. Analistas estimam que a empresa gerou mais de US$ 10 bilhões em receita em 2019.

Bloomberg não está participando das quatro primeiras prévias democratas, em Iowa, New Hampshire, Nevada e Carolina do Sul, numa estratégia considerada incomum. Ele deve entrar na disputa a partir da Super Terça, em 3 de março, quando 14 estados realizam suas primárias ao mesmo tempo.

Desde o ano passado, o candidato pagou mais de US$ 310 milhões em anúncios no rádio e na TV que mostram sua época como prefeito de Nova York, de 2002 a 2013, e exaltam seu ativismo em defesa da política contra armas e contra o aquecimento global.

Às vésperas do debate entre pré-candidatos democratas em Nevada, nesta quarta-feira (19), uma pesquisa do Washington Post, em parceria com a emissora de TV ABC News, coloca Bernie Sanders com 16 pontos de vantagem sobre o segundo colocado, Joe Biden.

O senador por Vermont aparece com 32% das intenções de voto, enquanto o ex-vice-presidente está com 16%. O jornal americano aponta que a preferência por Sanders, que cresceu nove pontos desde o levantamento de janeiro, está ligada a seu bom desempenho nas primárias de Iowa e New Hampshire.

Já Biden, que antes das prévias era tido como pré-candidato mais forte, caiu 16 pontos. Estreante no debate desta quarta, Michael Bloomberg surge em terceiro, com 14% das intenções de voto, seguido pela senadora por Massachusetts Elizabeth Warren, com 12%.

Ex-prefeito de uma cidade em Indiana, Pete Buttigieg aparece apenas na quinta colocação, com 8% da preferência, apesar da vitória, por estreita margem, em Iowa e do segundo lugar em New Hampshire.

Segundo o Washington Post, a pesquisa tem uma margem de erro de 6%. Foram ouvidos 408 eleitores democratas, ou de tendência democrata.


OS NÚMEROS DE MICHAEL BLOOMBERG

78 anos

US$ 61 bi é a sua fortuna

12 anos é o período em que foi prefeito de Nova York

9ª pessoa mais rica da lista da Forbes

US$ 8 bi é o valor que já doou a causas como controle de armas e mudança climática

88% é sua cota da agência de notícias Bloomberg, que ele fundou

US$ 30 mi é o valor que já gastou em anúncios na TV desde que lançou sua campanha, em novembro

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.