'Finalmente', diz prefeito de Bergamo ao postar imagem de igreja sem caixões

Templo no cemitério da cidade italiana abrigou corpos de vítimas da Covid-19

São Paulo

O prefeito de Bergamo, Giorgio Gori, postou em uma rede social neste sábado (18) a imagem da igreja do cemitério da cidade vazia, após abrigar caixões com corpos de mortos em decorrência da Covid-19. "Finalmente", dizia a legenda.

No norte da Itália, a província de Bergamo —que engloba cerca de 250 municípios com 1,1 milhão de habitantes— é uma das regiões mais afetadas pela pandemia de coronavírus em toda a Europa.

O prefeito afirmou em 17 de março que teve de abrir a igreja do cemitério da cidade para abrigar corpos de vítimas da Covid-19.

No auge do surto na região, os hospitais ficaram lotados, as unidades de terapia intensiva, sem vaga, e os cemitérios e crematórios tinham filas de caixões.

É de lá o vídeo que circulou nas redes sociais mostrando páginas e páginas de um jornal local tomadas por obituários.

A Itália é o terceiro país com maior número de casos no mundo (172.434) —atrás da Espanha (191.726), em segundo lugar, e dos Estados Unidos (706.832), em primeiro—, e registrou quase 23 mil mortos.

Deste total, metade aconteceu na Lombardia, a região mais rica do país e onde Bergamo está localizada.

Até o dia 13 de abril, mais de 2.000 pessoas morreram na província de Bergamo, mas pesquisadores alertam que o número pode ser bem maior. O novo coronavírus foi detectado primeiramente em uma cidade vizinha no final de fevereiro.

Caixões com corpos de mortos pela Covid-19 dentro de igreja em Seriate, próxima à cidade de Bergamo, na Lombardia - Piero Cruciatti -26.mar.2020/AFP
Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.