Descrição de chapéu Coronavírus

Preocupado, presidente do Uruguai reforça barreiras sanitárias com Brasil

Lacalle Pou visitou Rivera, que faz fronteira com Santana do Livramento, no Rio Grande do Sul

Porto Alegre

Preocupado com o avanço da pandemia do novo coronavírus, o presidente do Uruguai, Luis Lacalle Pou, esteve em Rivera, no norte uruguaio, cidade que faz fronteira com Santana do Livramento, no Rio Grande do Sul, na manhã desta segunda-feira (25).

Barreiras sanitárias foram reforçadas, e cerca de 1.100 testes aleatórios foram aplicados como forma de controlar o contágio. Além disso, o início das aulas no departamento foi adiado. No resto do país, as escolas começam a voltar ao normal.

“Não temos só um problema em Rivera, temos um problema no país. Neste momento, Rivera tem uma complexidade distinta de outras zonas”, disse Lacalle Pou à imprensa ao chegar à fronteira, na noite de domingo (24).

O presidente Lacalle Pou (sentado, ao centro), durante visita a Rivera - Presidência do Uruguai/Divulgação

​Apesar de o Brasil já ser o segundo país do mundo com mais casos da Covid-19, Lacalle Pou evitou críticas à administração de Jair Bolsonaro. O presidente brasileiro chegou a defender que a população use armas para se rebelar contra o isolamento social em algumas cidades e estados.

O comércio de Rivera não será fechado, garantiu Lacalle Pou, cobrando uso de máscara, protocolos de higiene e distanciamento.

Rivera é capital de um departamento —divisão que equivale a um estado no Brasil— que leva o mesmo nome. Segundo o Ministério da Saúde do Uruguai, o departamento registrou duas mortes. O órgão afirmou que está tomando medidas de contingência. O país tem 769 casos confirmados e 22 mortes.

Do lado brasileiro, Santana do Livramento tinha, até a tarde desta segunda, 34 casos confirmados do novo coronavírus e uma morte. O Rio Grande do Sul tem 6.470 casos e 180 mortes.

O risco de que casos de Rivera se espalhem pelo país preocupa o governo de Lacalle Pou. O presidente chegou a conversar sobre a pandemia com Bolsonaro e relembrou o acordo binacional de saúde na fronteira.

Segundo o Itamaraty, na conversa por telefone, Bolsonaro e Lacalle Pou "concordaram em seguir mantendo estreita coordenação no combate à pandemia da Covid-19, em particular na região de fronteira. Coincidiram, também, quanto à necessidade de ter, como prioridades, o cuidado com a vida dos cidadãos dos dois países e a proteção da atividade econômica". ​

O governador gaúcho, Eduardo Leite (PSDB), conversou por telefone com o líder uruguaio. “Estamos trabalhando conjuntamente com o propósito de proteger a vida das pessoas e a integração econômica característica”, disse Leite.

A fronteira com o Rio Grande do Sul também preocupa por causa do início da colheita de cana de açúcar em Bella Unión, quando brasileiros costumam ser contratados como temporários. Protocolos sanitários agora desestimulam a entrada de brasileiros, que precisam passar por quarentena obrigatória ao ingressarem em Bella Unión.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.