Descrição de chapéu Coreia do Norte

Kim Jong-un diz que não haverá mais guerra no país graças às armas nucleares

Ditador diz que poderio da Coreia do Norte é capaz de evitar 'ameaças militares de forças hostis'

Seul | Reuters

O ditador norte-coreano, Kim Jong-un, exaltou o poderio nuclear de seu país nesta segunda (27, manhã de 28, no horário local) e afirmou que o país está livre de guerras por causa de suas armas.

Segundo a agência estatal de notícias do país, KCNA, Kim disse que as armas garantem a segurança e o futuro dos norte-coreanos apesar da pressão internacional e ameaças militares.

O discurso aconteceu durante uma recepção para veteranos em uma celebração pelo cessar-fogo da Guerra da Coreia, em 27 de julho de 1953.

O ditador norte-coreano, Kim Jong-un, discursa durante cerimônia de celebração pelo cessar-fogo da Guerra da Coreia - KCNA via KNS - 26.jul.2020/AFP

O líder norte-coreano ressaltou o foco defensivo do programa nuclear do país, desenvolvido, segundo ele, para conquistar "força absoluta" na hora de evitar outro conflito armado.

"Agora somos capazes de nos defender frente a qualquer forma e intensidade de pressão ou ameaças militares de forças hostis e imperialistas", afirmou.

"Graças à nossa efetiva e confiável dissuasão nuclear autodefensiva, não haverá mais guerra, e a segurança e o futuro de nosso país estarão firmemente garantidos para sempre."

As negociações de Kim com o presidente americano, Donald Trump, sobre o desmantelamento do programa nuclear de Pyongyang em troca do alívio de sanções que pesam sobre o país asiático seguem paralisadas desde 2019.

Ao assumir, em 2017, Trump encarou Kim com uma retórica fortíssima. Recebeu de volta uma aceleração brutal do programa de foguetes, que do ponto de vista de alcance já podem atingir os EUA.

Uma cúpula entre os governos em 2018 aliviou a tensão, que recomeçou a recrudescer a partir do fracasso da mal planejada segunda etapa do encontro, em fevereiro do ano passado, no Vietnã.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.