Descrição de chapéu Governo Trump

Sem oferecer evidências, Trump diz que explosão no Líbano 'parece ataque terrível'

Presidente disse que conversou sobre incidente com oficiais militares americanos

Washington | Reuters

Sem oferecer evidências, o presidente dos EUA, Donald Trump, disse nesta terça (4) que a explosão na área portuária de Beirute, capital do Líbano, parece ter sido "um terrível ataque".

Quando questionado sobre a forma como descreveu o incidente —cuja natureza ainda é desconhecida—, o líder republicano disse que havia conversado com oficiais militares americanos que consideravam a explosão próxima a um ataque "de algum tipo".

"Parece isso, com base na explosão. Encontrei nossos generais, e eles acham que foi isso", disse Trump. "Não foi um evento do tipo 'explosão de fábrica'. Parece, e eles sabem melhor que eu, que foi um ataque."

De acordo com o premiê do Líbano, Hassan Diab, em declaração dada na noite de terça (horário do Brasil), o incidente foi causado por 2.750 toneladas de nitrato de amônio, substância usada na produção de fertilizantes.

"É inadmissível que um carregamento de nitrato de amônio, estimado em 2.750 toneladas, esteja em um armazém há seis anos, sem medidas preventivas. Isso é inaceitável e não podemos permanecer calados."

Mais cedo, o ministro do Interior, Mohamed Fehmi, havia dito que o local da explosão era um armazém que concentrava grande quantidade do material. Ainda não se sabe, porém, se o evento foi proposital e se outras explosões ocorreram, como especulou-se após as primeiras informações.

Segundo o ministro da Saúde, Hamad Hassan, o incidente deixou 78 mortos e quase 4.000 feridos.

Mais cedo, o Pentágono declarou que os EUA estão preocupados com as mortes, e o Departamento de Estado ofereceu “toda a assistência possível” aos libaneses.

Em nota, Mike Pompeo, secretário de Estado americano, expressou "minhas mais profundas condolências a todos os afetados pela enorme explosão no porto de Beirute".

"Nossa equipe em Beirute me relatou os extensos danos a uma cidade e a um povo que considero querido, um desafio adicional em um momento de crise já profunda. Entendemos que o governo do Líbano continua a investigar a causa [da explosão] e aguardamos o resultado desses esforços."

A embaixada dos EUA em Beirute alertou os moradores da cidade sobre relatos de gases tóxicos liberados pela explosão, pedindo às pessoas que permaneçam em ambientes fechados e usem máscaras.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.