Candidato do partido de Evo ataca tribunal, mas diz que sigla respeitará resultado

Luis Arce é favorito nas intenções de voto nas eleições presidenciais bolivianas

Buenos Aires

Luis Arce, candidato do MAS (Movimento ao Socialismo) e líder nas pesquisas de intenção de voto nas eleições bolivianas, afirmou que a decisão do tribunal eleitoral do país de não divulgar os resultados da contagem preliminar neste domingo (18) é “irresponsável” e que “desgasta a imagem do país no exterior”.

Entretanto, o ex-ministro da Economia de Evo Morales afirmou que o MAS não pretende polemizar nem estimular protestos e que aguardará de modo “pacífico e respeitoso” o resultado final. A corte, por sua vez, estima que os dados serão divulgados apenas na próxima sexta-feira (23).

Luis Arce, candidato à presidência da Bolívia, após votar, em La Paz - Ueslei Marcelino 18.out.2020/Reuters

A dois dias de completar um ano desde a eleição presidencial de 2019, os bolivianos voltaram às urnas para tentar colocar fim a um longo, violento e instável processo de sucessão.

Sorridente, Arce afirmou em uma entrevista coletiva que está tranquilo quanto ao resultado e sem temor de que haja distúrbio social. “Os bolivianos somos pacíficos e estamos votando para recuperar nossa democracia, isso é uma boa notícia e temos de manter a calma."

Ele recebeu jornalistas estrangeiros na manhã deste domingo, na sede do MAS, em La Paz, logo depois de votar. “Temos o nosso sistema de contagem próprio, e somos o único partido que tem presença nacional. Temos delegados em todas as mesas do país, são mais de 80 mil pessoas fiscalizando as eleições, portanto estamos confiantes de que podemos garantir uma observação plena da votação.”

O candidato afirmou, ainda, que o MAS começará a divulgar sua contagem própria a partir das 20h deste domingo (21h no Brasil), horário a partir do qual é permitido anunciar dados do pleito. A partir do mesmo horário também serão divulgadas as pesquisas de boca de urna de jornais e institutos privados.

Evo, em Buenos Aires, onde vive com o status de refugiado, reforçou que o MAS tem seu próprio sistema de contagem e pediu aos apoiadores "que não caiam em nenhum tipo de provocação". "A violência só gera violência, e com ela perderemos todos." Ele ainda desmentiu o boato segundo o qual estaria indo para a Bolívia e afirmou que permanecerá na capital argentina​.

Grande parte dos institutos sugere que o resultado da votação levará a um segundo turno entre Arce e o ex-presidente Carlos Mesa. As eleições deste domingo são realizadas após quase um ano de presidência interina de Jeanine Añez. Evo renunciou em novembro, após perder o apoio das Forças Armadas em meio a uma crise gerada por denúncias de fraude no pleito em que buscava seu quarto mandato consecutivo.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.