Descrição de chapéu Coronavírus

Japão aprova lei que garante vacina contra a Covid grátis para todos

País fechou acordos com vários fabricantes para garantir proteção a seus 126 milhões de habitantes

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Tóquio | AFP

O Japão vai fornecer gratuitamente a vacina contra a Covid-19 a seus 126 milhões de habitantes, conforme projeto de lei aprovado nesta quarta (2), no momento em que o país enfrenta aumento de casos da pandemia.

O projeto, que determina que o governo pague todos os gastos com a vacina, foi aprovado pela Câmara Alta do Parlamento (semelhante ao Senado no Brasil), após obter o aval da Câmara Baixa (equivalente à Câmara dos Deputados).

O Japão já fez um pedido inicial de vacinas para 60 milhões de pessoas da farmacêutica Pfizer, e, para outros 25 milhões de pessoas, da Moderna. O governo japonês também confirmou que receberá 120 milhões de doses da vacina da AstraZeneca. Pode ser necessário mais de uma dose por pessoa para garantir a imunidade.

Dose de vacina contra a Covid-19, desenvolvida pela BioNTech e pela Pfizer - Divulgação/Reuters

A adoção do projeto ocorre duas semanas depois de o primeiro-ministro japonês, Yoshihide Suga, declarar que o país está em alerta máximo, após registrar um número recorde de novos casos de coronavírus.

Comparado a outros países, o Japão não está entre as nações mais duramente atingidas pela pandemia, que levou a 2.170 mortes e 150 mil casos de contaminação no território.

O país não adotou medidas rígidas de confinamento, como as impostas em outras partes do mundo. Agora, porém, enfrenta uma nova onda, com um número recorde de contágios diários. Na terça (1º), houve 1.934 novos diagnósticos de Covid-19, e 20 mortes pela doença.

Os promissores resultados dos testes com vacinas aumentaram as esperanças de Tóquio de realizar os Jogos Olímpicos, cuja abertura foi adiada para 23 de julho de 2021. O evento seria disputado em 2020, mas foi postergado devido à pandemia.

O presidente do COI (Comitê Olímpico Internacional), Thomas Bach, afirmou no mês passado que estava muito confiante sobre a possibilidade de ter espectadores presentes nas competições.

Na terça-feira (1º), um conjunto gigante dos anéis olímpicos voltou a ser exibido em Tóquio, para sinalizar que o país segue firme no propósito de realizar o evento.

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.