Países condenam violência e pedem respeito a resultado eleitoral após invasão do Capitólio

Venezuela, Reino Unido e Canadá, entre outros, expressaram preocupação

Washington e Belo Horizonte | Reuters

As imagens de manifestantes invadindo o Congresso americano na tarde desta quarta-feira (6) foram recebidas com preocupação por líderes mundiais e chanceleres.

Boris Johnson, premiê do Reino Unido, descreveu o episódio como "vergonhoso". Ele afirmou que os EUA são um símbolo da democracia para o mundo e que uma transferência pacífica de poder é vital.

O primeiro-ministro canadense, Justin Trudeau, expressou preocupação com a violência dos protestos.

"Estamos acompanhando a situação minuto a minuto", disse Trudeau à rádio News 1130 Vancouver. "As instituições democráticas americanas são fortes, e espero que tudo volte ao normal em breve."

O premiê espanhol, Pedro Sánchez, afirmou que também segue os acontecimentos e sinalizou apoio a Biden. "A nova Presidência de Joe Biden superará este momento de tensão, unindo o povo americano."

O governo alemão instou o presidente Donald Trump a aceitar a decisão dos eleitores americanos em uma mensagem publicada no Twitter pelo seu ministro de Relações Exteriores, Heiko Maas.

"Os inimigos da democracia ficarão satisfeitos ao verem essas imagens terríveis de Washington", escreveu. "Trump e seus aliados devem aceitar a decisão dos eleitores e parar de pisar na democracia."

A Venezuela, por sua vez, condenou a "polarização política e a espiral de violência" dos atos em nota divulgada pelo ministro de Relações Exteriores da Venezuela, Jorge Arreaza. Segundo o regime, a manifestação escancara "a profunda crise que o sistema político e social dos Estados Unidos atravessa".

"Com este lamentável episódio, os EUA padecem daquilo que causaram a outros países com suas políticas de agressão", continua o comunicado.

A chancelaria também afirmou que espera que os atos de violência cheguem ao fim e que "o povo americano abra um novo caminho em direção à estabilidade e à justiça social".

Charles Michel, presidente do Conselho Europeu, expressou surpresa com as imagens do Capitólio, que descreveu como "um templo da democracia". "Confiamos nos EUA para garantir uma transferência pacífica de poder para Joe Biden", escreveu ele no Twitter.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.