Descrição de chapéu Coronavírus

Argentina suspende voos de Brasil, Chile, México e Reino Unido para evitar 2ª onda de Covid

Medida endurece controle para quem regressa do exterior e impacta estudantes e moradores do país

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Buenos Aires

O governo da Argentina anunciou na noite desta quinta (25) que voos de e para Brasil, Chile e México serão suspensos a partir de sábado (27) —conexões com o Reino Unido seguem interrompidas.

A restrição tem como objetivo barrar viagens ao exterior e tentar prevenir uma segunda onda da Covid-19 no país. Como o turismo estrangeiro já estava suspenso no país, o impacto será sentido por moradores do país que tinham viagens marcadas para o exterior ou que estejam fora da Argentina no momento —segundo o jornal Clarín, há cerca de 27 mil argentinos no exterior.

A medida endurece ainda mais o controle a aqueles que voltam do exterior. Além de apresentar um teste do tipo PCR ao embarcar, será preciso realizar outro ao chegar no país, além de um terceiro, após uma quarentena de dez dias em casa. Os exames terão de ser pagos pelos viajantes.

Caso o resultado seja positivo, será necessário um isolamento de 14 dias num estabelecimento escolhido pelo Estado, com estadia paga também pelo viajante. O decreto que estabelece as medidas recomenda ainda que argentinos e moradores do país não viajem ao exterior devido à situação sanitária da região.

A entrada de brasileiros chegou a ser banida em dezembro pelo país, que manterá suas fronteiras terrestres fechadas. Desde meados de fevereiro, a Argentina apresenta alta na média móvel de casos.

Alvos das suspensões, Brasil e Chile são os países que apresentam os números mais altos, acompanhados de uma curva íngreme no aumento das infecções —na média móvel, foram 354 e 326 casos por milhão de habitantes nesta quarta, respectivamente.

Reino Unido e México, por sua vez, registram 81 e 37 na média móvel de novos casos. Já no registro de mortes, o quadro é diferente. O Brasil é o único que apresenta uma forte subida, com média móvel de 11 mortes por milhão de habitantes nesta quarta. Chile (4) e México (4) começaram a apresentar ligeira alta, enquanto Reino Unido (1) vem em queda, e Argentina (2) parece seguir a mesma tendência.

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.