Descrição de chapéu
João Paulo Diniz

Um passo fundamental para o esporte brasileiro

Brasil caminha em direção à profissionalização das governanças esportivas

João Paulo Diniz

O Brasil é um país de expoentes no esporte, apesar de todos os obstáculos diários que os atletas enfrentam. Nomes como Ademar Ferreira da Silva, Gustavo Kuerten, Maurren Maggi e outras figuras que fizeram história tinham algo em comum: resiliência e qualidade individual. Estes foram, e são até hoje, fatores cruciais para que atletas brasileiros se destaquem, já que a estrutura política e de governança dentro do esporte nunca recebeu a importância necessária.

Para mudar este cenário, nos últimos anos organizações e personalidades do esporte nacional se organizaram para fazer essa pauta ser tratada com mais seriedade no país. Um exemplo foi a forte atuação da ONG Atletas pelo Brasil, em 2013, pela aprovação do artigo 18-A da Lei Pelé. Uma conquista que estabeleceu condutas de gestão, governança e integridade para que as entidades esportivas recebam recursos públicos.

João Paulo Diniz - Conselheiro da Atletas pelo Brasil
O empresário João Paulo Diniz, conselheiro da ONG Atletas pelo Brasil - Divulgação

Desde então avançamos na criação de políticas públicas e organização do setor privado para incentivar a prática esportiva, mas o caminho ainda é longo. Nesse sentido, surge o Rating Integra, idealizado pelo Pacto pelo Esporte, em parceria com o Instituto Ethos e os Comitês Olímpico (COB) e Paralímpico (CPB). Com o Rating, as entidades esportivas terão sua governança, transparência e integridade classificadas, a fim de se encaixarem em parâmetros adequados para receber patrocínios da iniciativa privada.

Do lado das empresas que investem, o tom é otimista. Isso porque o Rating traz mais visibilidade e, consequentemente, confiança para investir nas entidades esportivas, sabendo que o dinheiro direcionado tem potencial para ser bem empregado. Em seu primeiro ciclo de avaliação, 26 entidades esportivas se inscreveram, o que mostra receptividade do outro lado. Aqui é importante ressaltar que em momento algum o Rating tem caráter de punição ou exclusão, mas apenas de classificação.

Para marcar oficialmente o primeiro ciclo da iniciativa, nesta quarta-feira (23) acontecerá o evento de lançamento do panorama geral do Rating. Também será divulgada a entrada do Pacto pelo Esporte na coalizão Siga (Aliança Global pela Integridade no Esporte) por ter unido tantas empresas em uma ação inédita que visa o desenvolvimento do esporte brasileiro. A coalizão é formada por organizações de todo o mundo para discutir boa gestão no uso de recursos públicos e privados pelas entidades esportivas.

Este é só mais um passo para a transformação da realidade do esporte no país. A visibilidade internacional que a mobilização das empresas signatárias do Pacto pelo Esporte já traz ao Brasil é essencial, tanto para dentro de casa quanto para fora. Aos olhos do mundo, é certo que o Brasil, agora, também caminha em direção à profissionalização das governanças esportivas, entendendo que é preciso ter mais seriedade quando falamos sobre o tema.

Já para dentro de casa, é a oportunidade de ressaltar que é indispensável olhar com seriedade para o esporte, que é atividade chave para o Brasil do futuro. Além de investir no desenvolvimento de entidades, atletas e modalidades, é preciso que tanto a iniciativa privada quanto o governo enxerguem valor agregado no esporte, como um bem social. Assim os brasileiros terão melhor qualidade de vida e olharemos, também, para o desenvolvimento da nossa própria nação.

João Paulo Diniz

Empresário, é conselheiro da Atletas pelo Brasil e foi presidente do Conselho de Gestão da Secretaria de Esportes e Lazer de São Paulo em 2017 (gestão Doria)

TENDÊNCIAS / DEBATES

Os artigos publicados com assinatura não traduzem a opinião do jornal. Sua publicação obedece ao propósito de estimular o debate dos problemas brasileiros e mundiais e de refletir as diversas tendências do pensamento contemporâneo.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.