Médico que trabalha no SUS desabafa

Leitores comentam acertos para eleição

Desabafo
Em meio a uma pandemia, o presidente ignora a ciência, despreza a comunidade científica, desobedece as regras, intimida ministros, incita a ignorância, não se compadece pelo sofrimento alheio... Temos um ministro que não sabe nada de saúde e serve de poste para a ignorância do presidente. Brasil foi e é um vexame internacional na pandemia... (só queria desabafar mesmo; trabalhar em enfermaria do SUS durante essa pandemia de Covid-19 não está fácil...).
Rannier Dias Rabelo, médico (Goiânia, GO)

Aplicativo do SUS - Adriana Toffetti/A7Press/Folhapress

União e regras básicas
A luta contra o obscurantismo e o retrocesso civilizatório precisa unir as diversas forças progressistas deste país. Trump já era, Bolsonaro ficará isolado no cenário internacional, tendo alcançado o posto que sempre quis, o de pária internacional. O problema é que isso afetará o cotidiano dos brasileiros. Então 2021 será crucial para o esforço coletivo de construção de uma ampla aliança em favor da democracia, do meio ambiente e das regras básicas do pacto social.
Geimison Falcão (Pacajus, CE)

*

Lula e Ciro e Boulos unidos = esquerda forte. Confirmando a derrota de Trump, o cenário fica mais otimista para nos livrarmos do obscurantismo.
Juarez Ramos de Oliveira (Canoas, RS)

*

"Lula e Ciro se encontram e ensaiam reaproximação, mas sem tratar da eleição de 2022" (Poder, 29/10). Ciro não se recusa a conversar com ninguém, mas não tem nenhum apreço político por Lula, nenhum. Acha que ele é o grande responsável por essa tragédia econômica, social e política que o Brasil está vivendo; não tem grandeza, só pensa em si e virou um grande enganador profissional. "Lula lá!" é só um caudilho latino-americano!
Celso Bittencourt (São Paulo, SP)

Lula, Fernando Henrique Cardoso, Marina Silva, Ciro Gomes, Carlos Lupi e Dilma gravam mensagem para o Dia do Trabalhador - Reproducao/TV Folha


Ciro deveria ser o ponto de convergência da esquerda, mas precisa entender que há um PT melhor do que esse de Lula, Dirceu e figuras de mensalão e petrolão. E há pessoas de bem dentro do PT que não pactuaram com o que essa turma fez. E são, sim, a maioria! Antes que me venham com a história de "Lula Livre", informo que já passei da idade de acreditar em coelho da Páscoa, Papai Noel e Lula inocente... A esquerda precisa se renovar e se livrar dessa corja!
Valter Mendes Júnior (São Bernardo do Campo, SP)

*

Acho muito reduzidas as chances da esquerda na próxima eleição. Deve chegar ao segundo turno, e mais forte do que em 2018, mas ainda acho que será difícil derrotar Bolsonaro, o grotesco. Mas é uma ótima notícia. Precisamos de menos protagonismo do PT para que as chances da esquerda aumentem.
João Paulo Santos (Santo Amaro, BA)

*

Liberais brasileiros, quando chegam ao governo, entregam o serviço público aos poderosos cumpadres, e o estado não fiscaliza a qualidade dos serviços que esses cumpadres prestam à população. Esse é um dos problemas do PSDB. Infelizmente, por ser tucana, a mídia mostra apenas as mazelas da saúde, segurança etc. de outros estados, vendendo uma ilha da fantasia que não existe.
Claudio Lourenço Rocha (São Paulo, Sp)


São Sabará
Li o artigo de Filipe Sabará ("Fui expulso do Novo com alegações falsas e denúncias descabidas", Tendências / Debates, 29/10) e creio que ele se candidatou ao cargo errado. Com certeza, Sabará é candidato a santo. Quando morrer, que não se esqueça de me avisar pois farei campanha pela sua canonização.
Antônio Panciarelli (São Caetano do Sul, SP)


Desumanidades
É sabido que a maioria das agressões praticadas na sociedade ocorre no ambiente familiar. E os idosos, por serem parte fragilizada, são grandes vítimas do crime doméstico. São violências físicas e verbais que morrem no silêncio, abafadas pelas paredes. Uma velhofobia que a pandemia veio exacerbar. Uma pandemia de desumanidades que pode estar a caminho.
Marcelo de Lima Araújo (Rio de Janeiro, RJ)

Presidente 'boiola'

Bolsonaro no Maranhão - Alan Santos/PR

"'Virei boiola, igual maranhense', diz Bolsonaro no Maranhão após beber refrigerante rosa" (Poder, 29/10). Avisem ao "humorista" que piadas homofóbicas são inconvenientes e não têm mais graça no século 21.
Jefferson C. Vieira (São Paulo, SP)


SUS
Na mesma semana em que está sendo realizado o 14º Congresso Internacional da Rede Unida, evento que congrega milhares de pessoas que defendem o SUS, Paulo Guedes apresenta proposta que seria o início do desmonte do nosso sistema de saúde. Por detrás disso vejo o lobista Ricardo Barros atuando no sentido de favorecer os seus financiadores, os planos de saúde. Está mais do que claro o que está posto em jogo neste momento: o interesse coletivo versus o interesse de lucro de poucos. Resistir é preciso. Depois de mais de 40 anos nessa luta, continuo na mesma trincheira, a da defesa do SUS e da saúde coletiva. Não passarão!
José Elias Aiex Neto, médico, ex-secretário municipal de Saúde de Foz do Iguaçu e ex-presidente da Associação Médica do Paraná (Foz do Iguaçu, PR)


Apoio a Bolsonaro
Respondo ao leitor Wilson Lima (Painel do Leitor, 29/10). Parte da comunidade judaica aplaudiu a fala de Bolsonaro no clube Hebraica no Rio de Janeiro; parte protestou na porta na porta do clube contra a sua presença e outra parte fez um abaixo-assinado, vitorioso, para barrá-lo no clube A Hebraica de São Paulo, do qual faço parte. Fica fácil perceber que é uma comunidade diversa, não?
José Marcos Thalenberg (São Paulo, SP)


Ideias neonazistas
É uma excrescência, jurídica inclusive, obrigar a governadora de Santa Catarina, Daniela Reinehr, a se manifestar sobre supostas ideias e pensamentos de seu pai, que em nada dizem respeito à sua pessoa e à sua atividade pública de governadora. O mais irônico e assustador é ver por trás disso um profissional do direito, Fernando Lottenberg ("Governadora de SC evita dizer se concorda com ideias neonazistas", Poder, 29/10).
Mauro Fadul Kurban (São Paulo, SP)

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.