Descrição de chapéu Eleições 2018

Gleisi e Haddad viajam a Curitiba para ouvir Lula sobre vice do PT

Viagem foi marcada após partido decidir indicar nome no sábado (4) para compor chapa petista

Gleisi Hoffmann e Fernando Haddad visitam Lula na PF, em Curitiba - Ricardo Stuckert - 28.jun.18/Divulgação
Catia Seabra Marina Dias
São Paulo e Brasília

A presidente do PT, Gleisi Hoffmann (PR), e o ex-prefeito Fernando Haddad decidiram viajar na tarde desta sexta (3) a Curitiba para consultar o ex-presidente Lula sobre o nome que será indicado pelo partido até este sábado (4) para a vaga de vice na chapa ao Planalto.

A lei eleitoral determina que a oficialização da chapa deve ser feita até 24h após o fim do prazo das convenções partidárias, no próximo domingo (5), contrariando os planos iniciais de Lula e do PT, que queriam indicar os nomes somente no registro das candidaturas, em 15 de agosto, para evitar desgaste e especulações sobre uma possível alternativa ao ex-presidente.

O tesoureiro da sigla, Emídio de Souza, acompanhou ambos na viagem.

Haddad é um dos cotados como plano B do PT caso Lula seja impedido de concorrer em outubro. Nos últimos dias, o nome de Gleisi ganhou força entre alguns setores da sigla para assumir o posto, e não rechaça a ideia, mas sofre resistência de outras tantas alas petistas.

​Gleisi afirmou nesta sexta-feira (3) que o PT decidirá somente no sábado (4), durante a convenção nacional do partido, qual será o vice na chapa virtual de Lula —que deve ser impugnada com base na Lei da Ficha Limpa.

As opções do PT, que serão levadas para a decisão de Lula, são as seguintes: indicar Manuela D'Ávila (PC do B) para o posto, que deve ser a vice na chapa real do PT na sucessão de Michel Temer; escolher Haddad ou Gleisi para a vaga, passível de substituição a até 20 dias da eleição; ou ainda escolher uma espécie de tampão, um nome que não levantaria expectativas sobre plano B mas também pronto para a troca durante o processo.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.