Paes e Romário brigam pela liderança no RJ, seguidos por Garotinho, diz Datafolha

Pouco mais de um quarto dos eleitores afirmou que não pretende optar por nenhum dos candidatos

Italo Nogueira
Rio de Janeiro

O ex-prefeito Eduardo Paes (DEM) lidera a pesquisa de intenção de votos para o governo do Rio de Janeiro ao lado do senador Romário (Podemos), aponta pesquisa estimulada do Datafolha divulgada nesta quarta-feira (22).

O candidato do DEM tem 18% das intenções de voto, estatisticamente ao lado do ex-jogador, com 16%. O ex-governador Anthony Garotinho (PRP) aparece com 12%, o que o deixa tecnicamente empatado com o Romário e, no limite, Paes.

O ex-prefeito Eduardo Paes (DEM) está empatado com Romário (Podemos) na disputa pelo governo do Rio de Janeiro, segundo o Datafolha
O ex-prefeito Eduardo Paes (DEM) está empatado com Romário (Podemos) na disputa pelo governo do Rio de Janeiro, segundo o Datafolha - Ricardo Borges - 19.ago.2016/Folhapress

O Datafolha entrevistou 1.322 eleitores entre segunda (20) e terça (21). A pesquisa, contratada pela Folha de S. Paulo e TV Globo, tem margem de erro de três pontos percentuais e nível de confiança de 95%. Está registrada no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) com o número RJ 03549/2018.

Num segundo bloco estão empatados os demais candidatos ao cargo. Com 5% das intenções de voto aparecem Índio da Costa (PSD) e Tarcísio Motta (PSOL). Pedro Fernandes (PDT) tem 3%, seguido de Marcelo Trindade (Novo), Márcia Tiburi (PT), ambos com 2%, e Dayse Oliveira (PSTU), Wilson Witzel (PSC), André Monteiro (PRTB) e Luiz Eugênio (PCO), com 1%.

A opção mais escolhida entre os entrevistados na pesquisa estimulada, contudo, foi a opção para anular ou deixar o voto em branco. Pouco mais de um quarto (26%) afirmou que não pretende optar por nenhum dos candidatos apresentados.

Líder numérico da pesquisa, Paes apresenta melhores resultados na capital (23%), que governou por oito anos, e entre o eleitorado mais jovem (23%), escolarizado (20%) e com renda familiar acima de dez salários mínimos (33%).

Já Romário e Garotinho vão melhor entre os menos escolarizados (17% e 19%, respectivamente) e com renda familiar abaixo de dois salários mínimos (18% e 15%, respectivamente).

O ex-governador, preso três vezes num período de um ano, tem a maior rejeição entre os candidatos, 45%. Já Paes é recusado por 32% dos entrevistados, seguido por Romário (23%).

O Datafolha também testou o potencial de transferência de votos do ex-presidente Lula, do presidente Michel Temer e do governador Luiz Fernando Pezão.

Segundo o levantamento, 21% dos entrevistados afirmaram que escolheriam o candidato a governador apontado pelo petista, preso em Curitiba. Outros 24% afirmaram que talvez escolhessem o nome indicado pelo ex-presidente. Já 53% não votariam num escolhido por ele. Lula apoia a escritora Márcia Tiburi.

Em relação a Temer e Pezão, o apoio se mostra tóxico. Não votariam num candidato apoiados pelos emedebistas 87% e 86%, respectivamente. Apenas 3% escolheriam o nome indicado por eles, enquanto 8% e 9% talvez optassem por seus indicados.

O MDB, partido de ambos, apoia Eduardo Paes. Mas o ex-prefeito já fez críticas diretas à gestão Pezão a fim de se distanciar do governador.

A pesquisa mostra ainda que 75% dos entrevistados consideram o governo Pezão ruim ou péssimo, enquanto 20% consideram regular e 3%, bom ou ótimo.

A disputa pelas duas vagas no Senado pelo Rio de Janeiro também se mostra acirrada, com quatro candidatos lado a lado nas intenções de voto. O ex-prefeito César Maia (DEM), o deputado Flávio Bolsonaro (PSL) e o senador Lindbergh Farias (PT) têm 18%, seguido de Chico Alencar (PSOL), com 17%. O deputado Miro Teixeira (Rede) tem 11% e o pastor Everaldo (PSC), 8%.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.