Paes e Romário brigam pela liderança no RJ, seguidos por Garotinho, diz Datafolha

Pouco mais de um quarto dos eleitores afirmou que não pretende optar por nenhum dos candidatos

Rio de Janeiro

O ex-prefeito Eduardo Paes (DEM) lidera a pesquisa de intenção de votos para o governo do Rio de Janeiro ao lado do senador Romário (Podemos), aponta pesquisa estimulada do Datafolha divulgada nesta quarta-feira (22).

O candidato do DEM tem 18% das intenções de voto, estatisticamente ao lado do ex-jogador, com 16%. O ex-governador Anthony Garotinho (PRP) aparece com 12%, o que o deixa tecnicamente empatado com o Romário e, no limite, Paes.

O ex-prefeito Eduardo Paes (DEM) está empatado com Romário (Podemos) na disputa pelo governo do Rio de Janeiro, segundo o Datafolha
O ex-prefeito Eduardo Paes (DEM) está empatado com Romário (Podemos) na disputa pelo governo do Rio de Janeiro, segundo o Datafolha - Ricardo Borges - 19.ago.2016/Folhapress

O Datafolha entrevistou 1.322 eleitores entre segunda (20) e terça (21). A pesquisa, contratada pela Folha de S. Paulo e TV Globo, tem margem de erro de três pontos percentuais e nível de confiança de 95%. Está registrada no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) com o número RJ 03549/2018.

Num segundo bloco estão empatados os demais candidatos ao cargo. Com 5% das intenções de voto aparecem Índio da Costa (PSD) e Tarcísio Motta (PSOL). Pedro Fernandes (PDT) tem 3%, seguido de Marcelo Trindade (Novo), Márcia Tiburi (PT), ambos com 2%, e Dayse Oliveira (PSTU), Wilson Witzel (PSC), André Monteiro (PRTB) e Luiz Eugênio (PCO), com 1%.

A opção mais escolhida entre os entrevistados na pesquisa estimulada, contudo, foi a opção para anular ou deixar o voto em branco. Pouco mais de um quarto (26%) afirmou que não pretende optar por nenhum dos candidatos apresentados.

Líder numérico da pesquisa, Paes apresenta melhores resultados na capital (23%), que governou por oito anos, e entre o eleitorado mais jovem (23%), escolarizado (20%) e com renda familiar acima de dez salários mínimos (33%).

Já Romário e Garotinho vão melhor entre os menos escolarizados (17% e 19%, respectivamente) e com renda familiar abaixo de dois salários mínimos (18% e 15%, respectivamente).

O ex-governador, preso três vezes num período de um ano, tem a maior rejeição entre os candidatos, 45%. Já Paes é recusado por 32% dos entrevistados, seguido por Romário (23%).

O Datafolha também testou o potencial de transferência de votos do ex-presidente Lula, do presidente Michel Temer e do governador Luiz Fernando Pezão.

Segundo o levantamento, 21% dos entrevistados afirmaram que escolheriam o candidato a governador apontado pelo petista, preso em Curitiba. Outros 24% afirmaram que talvez escolhessem o nome indicado pelo ex-presidente. Já 53% não votariam num escolhido por ele. Lula apoia a escritora Márcia Tiburi.

Em relação a Temer e Pezão, o apoio se mostra tóxico. Não votariam num candidato apoiados pelos emedebistas 87% e 86%, respectivamente. Apenas 3% escolheriam o nome indicado por eles, enquanto 8% e 9% talvez optassem por seus indicados.

O MDB, partido de ambos, apoia Eduardo Paes. Mas o ex-prefeito já fez críticas diretas à gestão Pezão a fim de se distanciar do governador.

A pesquisa mostra ainda que 75% dos entrevistados consideram o governo Pezão ruim ou péssimo, enquanto 20% consideram regular e 3%, bom ou ótimo.

A disputa pelas duas vagas no Senado pelo Rio de Janeiro também se mostra acirrada, com quatro candidatos lado a lado nas intenções de voto. O ex-prefeito César Maia (DEM), o deputado Flávio Bolsonaro (PSL) e o senador Lindbergh Farias (PT) têm 18%, seguido de Chico Alencar (PSOL), com 17%. O deputado Miro Teixeira (Rede) tem 11% e o pastor Everaldo (PSC), 8%.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.