Vídeos da campanha #EleNão recebem enxurrada de 'não gostei'

Corrente de WhatsApp incentiva internautas a reagirem contra movimento aderido por artistas

Sarah Mota Resende
São Paulo

Se, de um lado a campanha #EleNão, contra o candidato Jair Bolsonaro (PSL), mobiliza artistas a gravar vídeos com seus motivos para não eleger o deputado federal; de outro, militantes do capitão reformado têm mobilizado correntes para rebater o movimento.  

Em comentários no YouTube, internautas pró-Bolsonaro se organizam para responder vídeos do #EleNao, além de marcar as publicações com “não gostei”. 

No WhatsApp, circula uma corrente com números de "gostei" e "não gostei" de vídeos favoráveis ao #EleNão apurados até às 14h30 desta terça-feira (25). A corrente incentiva internautas a reagirem contra a campanha aderida por artistas. 

Até as 14h desta quarta-feira (26), por exemplo, um vídeo do YouTube em que Daniela Mercury convida mulheres a participarem de protesto organizado neste sábado (29) recebeu 16 mil "gostei" contra 935 mil "não gostei". 

O vídeo, que já soma quase 2 milhões de visualizações, foi publicado em uma conta chamada Dilma Resistente, que tem pouco mais de 6 mil inscritos.

Captura de tela de vídeo da campanha #EleNão publicado no YouTube
Captura de tela de vídeo da campanha #EleNão publicado no YouTube - Reprodução

Nos comentários é possível encontrar mensagens como "Vamos bater 1 milhão de deslikes"; "Se continuar assim, vai conseguir bater o recorde de deslikes"; e "Bora boicotar", além de recados ofensivos.  

Originalmente, o vídeo foi publicado por Mercury em seu Instagram. Nele, a cantora baiana ainda desafia Anitta a fazer o mesmo em seu perfil. Mercury desativou os comentários. 

Anitta, que inicialmente se esquivou de falar sobre o assunto, também fez sua gravação dizendo não apoiar Bolsonaro. Ela publicou a filmagem no Instagram e também desativou comentários. 

Assim como o recado de Mercury, o vídeo de Anitta foi parar no YouTube —e também foi negativado por internautas pró-Bolsonaro. 

Uma das versões do vídeo de Anitta no YouTube foi publicada no perfil TV 247, que pertence ao site Brasil 247. Até a publicação deste texto, o vídeo, que tem mais de 86 mil visualizações, somava 1,6 mil “gostei”, contra 44 mil "não gostei". Não há comentários. 

A atriz Letícia Sabatella foi outra que aderiu ao movimento #EleNão e também gravou vídeo listando seus motivos para não eleger Bolsonaro. "Existe um candidato que é extremamente fascista, racista, homofóbico que acha que pode vender a ideia de que pode resolver tudo na bala, na ignorância, na truculência", diz ela, sem citar o nome de Bolsonaro, como prega a campanha. 

No Instagram da artista, onde o vídeo foi originalmente publicado, há comentários a favor de Bolsonaro e com a hashtag "EleSim. "Você não me influencia, Bolsonaro presidente", diz um internauta. "Você não é nada nas nossas vidas! Você não!", diz outro. "Que tristeza! Uma única classe usando de sua influência para induzirem os eleitores ao erro. Tudo isso em prol de interesses particulares, jamais pensando no coletivo. Vocês não me representam!", escreve um terceiro que finaliza seu comentário com #EleSim. 

No YouTube, a Folha encontrou o vídeo de Sabatella também na página Dilma Resistente. Com mais de 1 milhão de visualizações, o vídeo acumulava, até a publicação deste texto, 10 mil "gostei", contra 699 mil "não gostei". 

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.