Descrição de chapéu Eleições 2018

Grupo apoiado por Luciano Huck, RenovaBR elege 16 de 120 candidatos

Movimento que prega renovação política tinha lista com 30 nomes de maior potencial

Joelmir Tavares
São Paulo

O RenovaBR, grupo apoiado por Luciano Huck que tem o objetivo de promover renovação na política, elegeu 16 dos 120 candidatos lançados para a eleição deste ano para Assembleias Legislativas e Congresso Nacional.

Os partidos Novo (oito pessoas) e Rede (três) foram os principais na lista de vitoriosos. Também houve eleitos do PDT, do PSB, do DEM, do PPS e do PSL.

Entre eles estão o ex-ministro Marcelo Calero (do PPS, que será deputado federal pelo Rio), a cientista política Tabata Amaral (do PDT, eleita deputada federal por São Paulo) e Joênia Wapixana (da Rede, que será deputada federal por Roraima e é a primeira indígena eleita para a Câmara desde 1982).

Em São Paulo, o Novo elegeu Daniel José, Heni Ozi Cukier, Ricardo Mellão (estaduais) e Vinicius Poit (federal). Em Sergipe, o delegado Alessandro Vieira foi escolhido senador pela Rede, com a maior votação para o cargo neste ano no estado. 

O RenovaBR foi idealizado pelo empresário Eduardo Mufarej e ganhou a adesão de entusiastas de renovação como Huck, que se tornou o principal garoto-propaganda da iniciativa. O comunicador da TV Globo também fez doações em dinheiro a alguns dos candidatos. Destinou para Calero, por exemplo, R$ 50 mil.

Huck disse à Folha que considerou o resultado positivo. "Boas sementes da verdadeira renovação estão plantadas", afirmou.

O apresentador, que quase foi pré-candidato a presidente pelo PPS, manteve uma atuação discreta nos últimos meses, dedicando-se a apoiar candidatos ao Legislativo lançados pelos movimentos de renovação que ele integra. ​

Segundo Mufarej, as lideranças apoiadas pelo Renova tiveram aproximadamente 4,5 milhões de votos.

Para chegar ao nome dos 16 eleitos, a entidade considerou cálculos da votação e do quociente eleitoral. Ainda há um caso pendente. O resultado oficial ainda não foi divulgado pela Justiça Eleitoral.

Dos 120 postulantes, pelo menos 30 tinham alto potencial de se elegerem, segundo uma tabela interna da organização.

Não conseguiram uma vaga, por exemplo, Carlos Gomes (Rede-AC), Marco Marrafon (PPS-MT), Diza Gonzaga (PSB-RS) e Juliana Cardoso (PR-SP), que constavam na relação de apostas.

O grupo de capacitação de novas lideranças, criado em 2017, apareceu nas urnas espalhada por 22 legendas.

Das principais siglas em atividade no país, só o PT não teve representante no rol de apoiados pelo programa. A maioria dos postulantes que concorreu é filiada a quatro partidos: Rede (20 pessoas), Novo (15), PPS (14) e PSB (13). ​

A iniciativa, sustentada com doações privadas, ofereceu cursos e preparação ao longo de seis meses para 133 pessoas de todos os estados (exceto Paraíba).

Beneficiados receberam bolsas de R$ 5.000 a R$ 12 mil, a título de ajuda de custo, para que pudessem abrir mão do emprego durante o período das atividades. Alguns dispensaram a verba.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.