Descrição de chapéu Eleições 2018

Não é o poder dos grandes partidos e facções que fará diferença, diz Zema eleito em Minas

Ele admitiu que precisará tomar 'medidas impopulares' para tirar o estado da crise e falou em corte de cargos e de gastos

Romeu Zema fala à imprensa após ser eleito em Minas Gerais
Romeu Zema (Novo), eleito governador de Minas Gerais, fala à imprensa ao lado do vice, Paulo Brant, e do presidenciável do partido, João Amoêdo - Carolina Linhares/Folhapress
Carolina Linhares
Belo Horizonte

Ao som de DJ e com food trucks em um salão de eventos na zona leste de Belo Horizonte, eleitores do Partido Novo comemoraram neste domingo (28) a eleição do seu primeiro governador, Romeu Zema, em Minas Gerais. 

"Provavelmente, eu sou o primeiro governador eleito em Minas sem ter o apoio da classe política. Fica provado que não é o poder dos grandes partidos, não é o poder das grandes facções que pode estar fazendo diferença", afirmou o governador eleito.

Zema teve mais de 70% dos votos contra quase 30% do senador e ex-governador Antonio Anastasia (PSDB), que tem mais quatro anos de mandato no Senado. 

Anastasia telefonou para Zema se colocando a disposição. "Vamos precisar dele no Senado", disse Zema.

O governador eleito é empresário de Araxá (MG), dono de uma rede de 800 lojas em dez estados, que vende de eletrodomésticos a combustíveis, faturando R$ 4,4 bilhões ao ano. Com patrimônio de R$ 70 milhões, ele concorreu a sua primeira eleição. 

"Tive uma votação muito expressiva, que comprova que as pessoas querem mudança. Estou muito orgulhoso de ter feito uma campanha diferente, não gastei um real de recuso público", disse, atribuindo o sucesso ao trabalho de visitar 200 cidades. 

Zema foi financiado pelo Partido Novo, por empresários e investiu R$ 235 mil do próprio bolso. Gastou até agora cerca de R$ 3 milhões, contra R$ 11 milhões gastos por Anastasia. 

Ao contrário do tucano, que tinha uma coligação de 12 partidos, o Novo não fez alianças. No primeiro turno, teve apenas seis segundos no horário eleitoral. 

Registrado em 2015, o Novo elegeu quatro vereadores em 2016 e, nesta eleição, além de Zema, elegeu oito deputados federais, 11 estaduais e um distrital. Minas Gerais passa a ser a vitrine do partido de ideias liberais na economia e que prega o fim dos privilégios dos políticos.  

Zema chegou à festa acompanhado do vice, Paulo Brant, e de João Amoêdo, que concorreu à Presidência pelo Novo. Havia forte aparato de segurança privada e também da Polícia Militar no local. 

O governador eleito pregou união do povo, da Assembleia e do Judiciário para superar a crise do estado, que projeta déficit de R$ 11,4 bilhões para 2019. "O estado está falido, é um doente terminal." 

A ideia de Zema é levantar dados, inclusive com o Tribunal de Contas do Estado, para diagnosticar a real situação financeira de Minas e não ser pego de surpresa ao chegar ao governo. 

"Vou depender muito do apoio dos deputados, mas não quero balcão de negócios, quero a Assembleia que trabalhe do meu lado, que vote consciente a favor dos mineiros", disse. O Novo elegeu três de 77 deputados estaduais em Minas. 

Zema afirmou que a partir de segunda (29) uma equipe de transição já dará início ao trabalho. Ele ainda não conversou com o governador Fernando Pimentel (PT). 

À frente de sua equipe econômica e talvez como parte dela está Gustavo Franco, ex-presidente do Banco Central. A prioridade, disse Zema, será acertar as contas públicas e criar empregos.

"Vou montar o melhor time que já esteve à frente de Minas. Não tenho cargo comprometido com ninguém, estou livre 100%".

Zema admitou que precisará tomar "medidas impopulares" para tirar o estado da crise e falou em corte de cargos e de gastos. Prometeu ainda o governo mais transparente de Minas em relação aos gastos.

Assessores de Zema já estão em contato com técnicos do Ministério da Fazenda para negociar a dívida do estado com a União. Segundo Zema, a conversa vale mesmo com o novo governo Bolsonaro, pois os técnicos se manterão na pasta.

Zema voltou a dizer que a privatização de estatais não é uma urgência, mas está nos planos. A ideia é melhorar a gestão para que elas se valorizem antes de serem colocadas à venda.

BOLSONARO

Zema é mais um dos governadores eleitos na esteira de Jair Bolsonaro (PSL). O empresário declarou voto em Bolsonaro no único debate em que participou no primeiro turno e disparou nos votos. 

"Do meu ponto de vista a eleição de Bolsonaro é altamente positiva, principalmente considerando o concorrente que ele tinha. Lembrando também que o projeto do partido dele, o projeto do Bolsonaro em muito coincide com aquilo que nós queremos, que é um governo mais enxuto, mais liberdade para empreender e mais liberdade para o cidadão", disse Zema. 

Na festa do Novo em BH, havia muitos eleitores com camisetas verde e amarelas e com bandeiras de Bolsonaro. Um dos jingles de Zema menciona o presidenciável eleito.

"Muda Minas, muda Brasil, pela liberdade Bolsonaro está com Zema de verdade", diz a letra.

Os eleitores do Novo também comemoraram a eleição de Bolsonaro aos gritos de "Lula nunca mais" e "nossa bandeira jamais será vermelha". 

A comemoração teve ainda canto de parabéns para Zema, que neste domingo completa 54 anos, e a música das vitórias de Ayrton Senna.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.