Descrição de chapéu Eleições 2018

Campanha de Paes doou dinheiro a coronel do PSL suspeito de receber apoio de milícia

Verba foi usada para a confecção de santinhos que mostram coronel ao lado de Jair e Flávio Bolsonaro

Lucas Vettorazzo
Rio de Janeiro

A campanha do candidato ao governo do Rio pelo DEM, Eduardo Paes, doou R$ 2.362 para a campanha do coronel da reserva da PM Fernando Salema Garção Ribeiro, eleito deputado estadual no Rio pelo PSL. 

Coronel Salema, como é seu nome de urna, é estreante em campanhas eleitorais e irá compor a bancada do PSL no Rio, partido que, impulsionado pela expressiva votação de Jair Bolsonaro no estado, aumentou sua presença na Alerj (Assembleia Legislativa do Rio) de dois para 13 representantes, a maior bancada da próxima legislatura fluminense.

Eduardo Paes, candidato ao governo do Estado do Rio pelo DEM
Eduardo Paes, candidato ao governo do Estado do Rio pelo DEM - Raquel Cunha - 04.set.2018/Folhapress

Salema somou 99,5 mil votos no Rio, na onda da visibilidade que ganhou junto à família Bolsonaro. Ele participou de diversas carreatas pela zona oeste ao lado do filho do presidenciável e senador eleito pelo Rio, Flávio Bolsonaro. 

Salema já foi comandante de batalhões da PM em Niterói e São Gonçalo. Segundo investigação do Gaecco (Grupo de Combate ao Crime Organizado) do Ministério Público do Rio, a campanha de Salema teria negociado com grupos milicianos de São Gonçalo a organização de um ato de campanha para o candidato em um reduto dominado pelo grupo paramilitar. Coronel Salema nega envolvimento. 

A despeito do apoio do grupo de Bolsonaro à campanha ao governo do ex-juiz federal Wilson Witzel (PSC), que disputará o segundo turno contra Paes, a campanha do ex-prefeito do Rio fez duas doações ao coronel candidato em 20 de setembro, segundo o site do TSE (Tribunal Superior Eleitoral). 

O dinheiro foi destinado à confecção de santinhos em que Salema aparece no centro, ao lado de Jair e Flavio Bolsonaro. Nos santinhos, não há pedido de voto para governador do Estado. 

Uma eleitora de Salema, em sua página oficial na rede social, chega a perguntar ao candidato quem ele indica para o voto para governador, mas não recebe nenhuma resposta de volta. 

Paes doou por meio do CNPJ de sua campanha. Salema foi a única pessoa física que registrou doação própria para sua candidatura, no valor de R$ 32.500. 

O valor doado pela campanha de Paes a Salema é um pouco menor do que os R$ 2.700 doados pelo o ex-prefeito à campanha da filha de Eduardo Cunha, Danielle da Cunha (MDB), mas supera o que foi doado, por exemplo, ao candidato a deputado federal Simão Sessim (PP), de partido que integra a coligação de Paes. 

Após ter ocupado cargo de deputado federal por dez mandatos consecutivos, Sessim não conseguiu se reeleger este ano.

 

Coincidentemente, seu comitê de campanha também figura como doador para a campanha de Salema, com três depósitos que somam R$ 6.650, para a aquisição de adesivos, bandeiras e materiais diversos de campanha.

Sessim é primo dos bicheiros e dirigentes da escola de Samba Beija-Flor, Farid Abrão David e Anísio Abraão David.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.