Descrição de chapéu Governo Bolsonaro

Criam narrativas para nos desgastar, diz Bolsonaro sobre transferências de obras sacras

Vice-presidente eleito, general Mourão, confirmou à Folha recebimento de santa do século 18

Gustavo Uribe
Brasília

O presidente eleito Jair Bolsonaro afirmou nesta terça-feira (18) que tentam desgastá-lo e a sua mulher, Michelle Bolsonaro, com a informação de que obras de arte sacra serão transferidas no ano que vem do Palácio do Alvorada, onde residirão.

A informação de que elas serão enviadas ao Palácio do Jaburu foi revelada pela Folha. Hoje, a residência oficial apresenta como parte de seu mobiliário cinco peças de simbologia católica.

Segundo relatos feitos à Folha por três funcionários do Palácio do Planalto, a transferência ocorrerá após a futura primeira-dama ter demonstrado o desejo de que as obras sejam retiradas. 

“Ela evangélica e eu católico, ambos temos objetos que lembram nossa fé em nossa casa. Não por acaso, criam narrativas para nos desgastar a todo custo”, disse Bolsonaro.

Uma das imagens é uma representação em madeira de Santa Bárbara, do século 18. O vice-presidente eleito, Hamilton Mourão, confirmou o recebimento da escultura.

“Uma imagem de Santa Bárbara irá para o Palácio do Jaburu. Ela é, inclusive, padroeira da artilharia”, disse à Folha.

Nesta terça-feira (18), o futuro ministro-chefe do GSI (Gabinete de Segurança Institucional), Augusto Heleno, negou que as obras serão transferidas para o Jaburu.

"Liguei para o presidente hoje de manhã comentando sobre a repercussão altamente negativa disso ai na comunidade católica e ele já desmentiu categoricamente. É mais uma notícia inventada”, disse.

Perguntado se o vice-presidente eleito, Hamilton Mourão, havia, então, se equivocado ao ter confirmado à Folha a transferência de uma escultura de Santa Bárbara ao Palácio do Jaburu, Heleno respondeu: "Ele não se equivocou. O general pediu que a imagem de Santa Bárbara, que é a patrona da artilharia brasileira, fosse levada para o Palácio do Jaburu. Ele é oficial de artilharia e tem um apreço muito grande pela imagem. Só, o resto é fake news", disse.

A mulher do presidente eleito frequenta a Igreja Batista Atitude, no Rio de Janeiro. As denominações evangélicas não costumam venerar esculturas de santos por seguirem mandamento bíblico de não fazer “imagem de escultura” do que “há em cima nos céus”.

Procurada antes da publicação da reportagem, Michelle informou que não tinha interesse em conversar com a Folha.

Por uma rede social, a futura primeira-dama disse que as notícias de transferência das obras são "maldade". "Muita maldade das pessoas tentarem me jogar contra os católicos. Eu sou evangélica, meu marido, católico, nos respeitamos, jamais faltaria com respeito à religião dele", declarou. 

Marcela Temer e Michelle Bolsonaro têm encontro no Palácio do Alvorada
Marcela Temer apresentou o Palácio da Alvorada a Michelle Bolsonaro em novembro - Divulgação - 22.nov.2018/Presidência da República
 
 

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.