Descrição de chapéu Governo Bolsonaro

Bebianno diz que Bolsonaro 'não deve nada a ele' por trabalho como advogado

Fala do ex-ministro é uma resposta a um diálogo entre Bolsonaro e o chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni

Talita Fernandes
Brasília

O ex-ministro da Secretaria-Geral Gustavo Bebianno afirmou que o presidente Jair Bolsonaro não deve a ele nada pelos trabalhos efetuados como advogado.

“O presidente não me deve nada de honorários advocatícios. Nem a mim, nem aos colegas que engajei nas causas. Trabalhamos por acreditar na causa”, afirmou Bebianno à Folha.

O ex-ministro da Secretaria-Geral da Presidência Gustavo Bebianno, que disse que Bolsonaro "nada deve a ele" pelo trabalho como advogado
O ex-ministro da Secretaria-Geral da Presidência Gustavo Bebianno, que disse que Bolsonaro "nada deve a ele" pelo trabalho como advogado - Pedro Ladeira - 17.fev.2019/Folhapress

A fala do ex-ministro é uma resposta a um diálogo entre Bolsonaro e o chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, na qual o presidente diz que se Bebianno cobrar pelo trabalhado ele terá de vender um imóvel para pagar.

Ainda preocupado com possíveis efeitos da demissão de Bebianno, Bolsonaro destacou Onyx para negociar uma saída em relação ao ex-braço direito.

De acordo com o jornal O Globo, Bolsonaro mostra preocupação com o fato de Bebianno ainda constar como seu representante em processos judiciais –o ex-ministro é advogado de formação e foi uma espécie de “faz tudo” de Bolsonaro na campanha eleitoral.

Os áudios das conversas entre Bolsonaro e Bebianno, divulgados pela revista Veja, confrontam a versão do presidente de que ele não havia falado naquele dia com o então auxiliar. As gravações mostram ainda que ambos conversaram também sobre o esquema de candidaturas laranjas do PSL, revelado pela Folha e que levou à queda de Bebianno. A conversa entre Bolsonaro e Onyx foi ouvida a partir de um telefonema aparentemente acidental do chefe da Casa Civil para um repórter do jornal, durante reunião do ministro com o presidente.

O presidente citou nota divulgada nesta quarta (20) pela coluna da Mônica Bergamo, da Folha, na qual Bebianno teria dito a interlocutores que apoiaram sua permanência no governo que pretende juntar documentos para embasar eventuais histórias que venha a contar sobre a campanha e sobre a breve passagem pelo governo.

“Se ele me cobrar individualmente o mínimo, eu to f... Tem que vender uma casa minha para poder pagar”, afirmou Bolsonaro a Onyx.

A nota da Folha foi repercutida pelo site O Antagonista, que depois retirou o conteúdo do ar – segundo o presidente, a pedido de Bebianno. No diálogo, Onyx prometeu uma conversa reservada com Bebianno para tratar dessas ações.

Bolsonaro citou ainda uma resposta de Bebianno a Jorge [possivelmente Jorge de Oliveira, subchefe de Assuntos Jurídicos da Casa Civil] na qual o ex-ministro se comprometia a não falar mais sobre os áudios trocados com o presidente.

Antes da divulgação dos áudios, Bebianno vinha afirmando que não dispararia contra o presidente. Em entrevista à rádio Jovem Pan na última terça (19), o ex-ministro disse que Bolsonaro ainda conta com sua admiração, mas o criticou por não dar limites à ação do filho Carlos, a quem creditou sua demissão após “macumba psicológica” na cabeça do pai.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.