Em meio a crise dos laranjas, Bolsonaro recebe presidente do PSL em audiência privada

Grupo de Luciano Bivar criou uma candidata laranja em Pernambuco; assessores presidenciais defendem afastamento de dirigente da sigla

Gustavo Uribe
Brasília

Menos de um dia após a demissão de Gustavo Bebianno, o presidente Jair Bolsonaro marcou uma audiência nesta terça-feira (19) com o presidente nacional do PSL, Luciano Bivar, também envolvido na crise das candidaturas laranjas do partido.

O encontro será o primeiro entre ambos, registrado na agenda oficial, desde a revelação pela Folha, no início de fevereiro, do esquema envolvendo a sigla do presidente e integrantes de sua equipe de governo, como o ministro do Turismo, Marcelo Alvaro Antonio.

Na semana passada, a Folha mostrou que o grupo de Bivar criou uma candidata laranja em Pernambuco que recebeu do partido R$ 400 mil de dinheiro público na eleição do ano passado. O comando formal da sigla no estado é do advogado particular e aliado do dirigente da sigla, Antonio de Rueda.

Desde o início da crise política, integrantes da equipe ministerial vinham defendendo o afastamento de Bivar da direção da sigla para evitar que o escândalo contaminasse o presidente. Com a queda de Bebianno, o movimento pela saída de Bivar foi incorporado inclusive por parlamentares da legenda.

A expectativa é de que após o encontro com o presidente, no Palácio do Planalto, Bivar se reúna com Bebianno, em um hotel da capital federal. O PSL foi presidido pelo ex-ministro da Secretaria-Geral durante as eleições de 2018, durante a campanha do presidente, que foi marcada por um discurso de ética e de combate à corrupção.

A queda de Bebianno decorreu da maior turbulência política enfrentada pelo governo Bolsonaro, que completou 50 dias de existência nesta terça-feira (19). A saída precoce de Bebianno do Palácio do Planalto preocupa aliados do presidente pelo potencial explosivo de supostas ameaças que ele estaria fazendo nos bastidores.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.