Descrição de chapéu Governo Bolsonaro

Ministro general desaparecerá da memória nacional, rebate Olavo

Escritor responde a críticas de Santos Cruz e diz que militares atacam amigos de Bolsonaro

Thais Bilenky
Brasília

O escritor Olavo de Carvalho rebateu nesta terça-feira (26) críticas do ministro general Santos Cruz (Secretaria de Governo), acusando os militares do governo Bolsonaro de serem covardes.

“Meus dois livros (um com 23 aninhos de idade) continuam na lista de best-sellers da [editora] Record. Ficarão lá até o Santos Cruz desaparecer da memória nacional”, afirmou o escritor, em uma série de postagens em rede social.

“O Santos Cruz, quando ouve conversa de soldados no quartel, fica todo arrepiadinho de horror. Olhe aqui, Santos Cruz: Soldados de verdade falam assim”, disse, postando em seguida vídeo em que policiais militares cantam ‘vai dar merda’ em um curso.

À Folha Santos Cruz afirmou que, “pelas últimas colocações do senhor Olavo de Carvalho na mídia, com linguajar chulo, com palavrões, inconsequente, o desequilíbrio fica evidente”.

A declaração do ministro ocorre em momento de irritação da ala militar com o escritor, que, dos EUA, onde mora, insulta os generais seguidamente, em especial o vice-presidente Hamilton Mourão.

“Militares brasileiros de alta patente são mentalmente escravos da mídia que os achincalha”, afirmou Olavo nesta terça.

“Nenhum general disse uma palavra contra os inimigos do Bolsonaro, só contra os amigos dele —os filhos e eu”, prosseguiu.

“Em 1964 os militares expulsaram os comunistas do poder e depois passaram vinte anos chamando-os de volta. Eles vieram e dominaram tudo por quase quatro décadas, achincalhando e humilhando os militares. Você ainda confia em militar para lidar com esses assuntos?”

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.