Doria pede helicóptero da PM para atender palácio, mas depois desiste

Questionado pela Folha sobre medida em meio à crise do coronavírus, tucano recua e cita 'oportunismo político'

São Paulo

Em meio à crise do coronavírus, o governo João Doria (PSDB) chegou a pedir a transferência de um helicóptero da Polícia Militar para uso do Palácio dos Bandeirantes, mas desistiu após questionamento feito pela reportagem da Folha.

O helicóptero modelo Agusta, o Águia 32, ficaria à disposição do gabinete do governador e de outras autoridades do palácio.

Em rede social, Doria escreveu no final da tarde desta terça (24): "Diante do oportunismo político criado em torno do assunto, determinei que o Helicóptero Águia da Polícia Ambiental, que passaria por reforma para atender o Governo de SP, seja usado exclusivamente no atendimento de resgate, transplante de órgãos e ocorrências policiais".

"O helicóptero vai ser incorporado à frota da PM de São Paulo. Já para fiscalização ambiental, os 200 drones adquiridos pela nossa gestão garantem mais eficácia e menor custo no combate ao desmatamento", completou.

Helicóptero que seria retirado do policiamento em São Paulo
Helicóptero que seria retirado do policiamento em São Paulo - Arquivo pessoal

O aparelho era utilizado pela Polícia Ambiental desde 2015, quando foi adquirido pela Fundação Florestal por meio de convênio com o BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento).

Com o final do convênio em 2019, a aeronave foi transferida para o Comando de Aviação Polícia Militar e continuava empregado na proteção de matas e rios no estado.

Como se trata de um modelo com dois motores, superior ao utilizado atualmente pelo Palácio dos Bandeirantes, a gestão Doria havia decidido levá-lo para uso do gabinete.

O helicóptero foi retirado do policiamento e recebeu nova pintura. Foram retiradas as cores da PM de São Paulo e era planejada uma coloração que mais agradasse ao governo paulista.

Procurado pela Folha nesta terça-feira, o Palácio dos Bandeirantes inicialmente indicou que Doria iria transferir para a PM o helicóptero atualmente utilizado por ele. Seria uma troca. Isso teria sido decidido em razão das características do modelo Agusta, muito pesado e menos versátil para ser utilizado no policiamento. Mais tarde, ele anunciou que não levaria adiante seu plano.

O deputado federal Coronel Tadeu (PSL-SP) havia dito que apresentaria queixa contra Doria ao Ministério Público e ao Tribunal de Justiça, sob acusação deimprobidade administrativa.

“Também vou fazer um pedido de impeachment do governador, se ele deu essa ordem”, disse. “O helicóptero que deveria estar fazendo policiamento está carregando o bonitão, não dá, né?”, afirmou.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.