Descrição de chapéu Coronavírus

Jornais brasileiros unificam capas em combate ao coronavírus

Campanha da ANJ destaca relevância do jornalismo profissional em situações de calamidade pública

São Paulo

Em uma ação inédita no país, dezenas de jornais brasileiros unificam suas capas nesta segunda-feira (23) na campanha da Associação Nacional de Jornais (ANJ) de apoio ao combate ao coronavírus e à desinformação, que agrava as consequências da Covid-19.

As peças desta segunda etapa da campanha, produzida pela agência de inteligência de mídia Tailor Media, trazem a seguinte mensagem: “Juntos vamos derrotar o vírus: Unidos pela informação e pela responsabilidade”.

A união dos periódicos destaca a valorização da informação jornalística e cria uma hashtag unificada, #imprensacontraovirus, que representa os esforços dos meios de comunicação na luta coletiva contra o vírus.

“Em situações dramáticas como a que vivemos, informação precisa e contextualizada é um bem ainda mais essencial”, enfatiza Marcelo Rech, presidente da ANJ.

“A ação demonstra a unidade dos jornais brasileiros em torno de uma causa comum: servir a população com jornalismo de qualidade para enfrentarmos e vencermos a pandemia”, completa.

Os anúncios de capa também serão publicados ao longo da semana pelos jornais que não circulam com edições impressas às segundas-feiras, ou no meio impresso ou em seus sites.

Além disso, há anúncios especiais para o meio digital —banners para os sites das organizações de notícias associadas à ANJ e cards para as redes sociais

Jornais argentinos expostos em banca; diários unificaram capas em meio à pandemia do coronavírus
Jornais argentinos expostos em banca; diários unificaram capas em meio à pandemia do coronavírus - Reprodução/Twitter

A campanha da entidade começou no último dia 18, com anúncios impressos e digitais —sites e redes sociais— que mostram a relevância do trabalho jornalístico no momento em que se desenrola uma situação de calamidade pública.

Pesquisa da agência de comunicação Edelman apontou que a maior parte (64%) das populações de dez países, inclusive a do Brasil, vê na imprensa a fonte de informação mais confiável neste momento.

O mesmo estudo mostrou ainda uma elevada preocupação com informações falsas sobre o vírus difundidas nas redes sociais —74% na média dos países pesquisados e 85% no Brasil.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.