Após repercussão negativa, filha do ministro Braga Netto desiste de ocupar cargo na ANS

Nome havia sido aprovado pela própria Casa Civil, mas cúpula militar receava que imagem das Forças Armadas se desgastasse ainda mais

Brasília

Após repercussão negativa, a filha do ministro da Casa Civil, Walter Braga Netto, desistiu de ocupar um cargo de gerência na ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar).

A nomeação de Isabela Braga Netto para uma função de livre nomeação, com salário previsto de R$ 13 mil, estava em análise pela diretoria da agência reguladora.

O nome havia sido aprovado pela própria Casa Civil, que analisa a idoneidade de todas as indicações feitas para funções federais de alto escalão.

O ministro-chefe da Casa Civil, general Walter Braga Netto, durante coletiva de impressa sobre a pandemia de coronavírus em Brasília - Pedro Ladeira - 22.abr.2020/Folhapress

"No dia de hoje, recebi a informação que a candidata desistiu de participar do processo de nomeação, embora tenha atendido todos os requisitos para o cargo", informou o diretor de desenvolvimento setorial da ANS, Rodrigo Rodrigues de Aguiar.

Em nota, ele ressaltou que os processos de nomeação "seguem requisitos técnicos" e que são pautados na "ética" e na "transparência"

"Entretanto, o processo para a ocupação do cargo gerou repercussões distorcidas e ilações", afirmou. "Reitero que o processo seletivo foi conduzido no âmbito da ANS, sem sofrer ingerências externas", acrescentou.

Desde a segunda-feira (20), após a informação ter sido veiculada, assessores presidenciais defendiam que a nomeação não fosse efetivada.

Segundo relato feito à Folha, o conselho foi inclusive levado ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

O receio da cúpula militar era de que o episódio desgastasse ainda mais a imagem das Forças Armadas, criticadas por seu envolvimento no comando do Ministério da Saúde em meio à pandemia do coronavírus.

A possibilidade de nomeação foi revelada pela revista Veja no final de semana. Isabela é formada em comunicação social e não é servidora de carreira.

Se a indicação fosse efetivada, ela ocuparia posto na gerência de análise setorial e contratualização com prestadores. O cargo é exercido atualmente por Gustavo Macieira, especialista em regulação.​

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.