Descrição de chapéu Eleições 2020

PSDB mantém cinturão tucano na Baixada Santista, mas perde 4 grandes cidades de SP

Partido somou 10 vitórias entre os 28 municípios com mais de 200 mil eleitores no estado

Ribeirão Preto

O cenário de 2016 praticamente se repetiu: o PSDB manteve o “cinturão tucano” na Baixada Santista nas eleições e vai controlar a maioria das cidades da região de 2021 a 2024. Entre as 28 cidades com mais de 200 mil eleitores em São Paulo, porém, perdeu quatro municípios em relação à eleição anterior.

Das nove cidades da região litorânea, o partido saiu vitorioso em seis, uma a menos do que há quatro anos, mas, mesmo onde foi derrotado, teve bom desempenho nas urnas.

O partido, que já tinha garantido cinco cidades em 15 de novembro (Santos, Cubatão, Itanhaém, Peruíbe e Bertioga), levou neste domingo (29) Praia Grande, a terceira mais populosa da região, com 330 mil habitantes.

Em Santos, principal município da Baixada, o prefeito Paulo Alexandre Barbosa (PSDB), há oito anos no cargo, fez o sucessor, Rogério Santos, ainda no primeiro turno, com 50,58% dos votos válidos, à frente de Ivan Sartori (PSD), com 18,60%.

“Tenho convicção de que o Rogério vai dar continuidade a este trabalho que iniciamos juntos há oito anos”, disse o atual prefeito em suas redes sociais.

Neste domingo, ele parabenizou os todos os eleitos na região e disse querer que todos trabalhem em conjunto, para cuidar e proporcionar mais qualidade de vida aos moradores da região. Dos 1,88 milhão de habitantes, o partido governará para 1,13 milhão.

Nas outras três cidades da Baixada, a eleição foi pulverizada, mas com candidatos tucanos tendo boa votação em duas delas.

Em São Vicente, o eleito neste domingo foi Kayo Amado (Podemos), que derrotou Solange Freitas (PSDB), por 56,3% a 43,7% dos votos válidos. Ela havia terminado o turno inicial na liderança, com 41,47%.

Já em Mongaguá, o futuro prefeito será Márcio Cabeça (Republicanos). Atual vice, foi eleito em 2016 pelo PSDB e, agora, derrotou o tucano Rodrigo Casa Branca por uma diferença de 1.706 votos.

A exceção é Guarujá, onde Válter Suman (PSB) foi eleito ainda no primeiro turno com 75,68% dos votos e o candidato do PSDB, André Guerato, foi o sexto, com 1,52%.

A manutenção do cenário na Baixada Santista não se refletiu em sua totalidade quando avaliados os resultados nos 28 municípios com mais de 200 mil eleitores em São Paulo —e que poderiam ter segundo turno.

político eleito levanta os dois braços para comemorar vitória em Ribeirão Preto
Duarte Nogueira (PSDB), que foi reeleito prefeito de Ribeirão Preto neste domingo, com 63,1% dos votos válidos - Weber Sian/ACidade ON

No estado, a sigla venceu em 10 dessas 28 cidades, 4 a menos do que há quatro anos. Apesar de ter vencido em Carapicuíba, onde o PV tinha levado a eleição em 2016, o PSDB não manteve Itaquaquecetuba, Mogi das Cruzes, Piracicaba, Taboão da Serra e Taubaté.

Em Mogi das Cruzes, depois de terminar na liderança do turno inicial com 42,29%, o tucano Marcus Melo foi derrotado por Caio Cunha (Podemos) neste domingo, quando obteve 41,61% dos votos válidos.

Atual prefeito, Barjas Negri também foi derrotado em Piracicaba por Luciano Almeida (DEM), por 54,2% a 45,8%, cenário que se repetiu em Taboão da Serra, onde o tucano Engenheiro Daniel alcançou 49,37%, ante os 50,63% de Aprigio (Podemos).

Em Itaquaquecetuba, o partido fez parte da coligação que elegeu o delegado Eduardo Boigues (PP). Já em Taubaté, não chegou ao segundo turno.

No geral, o mapa da disputa nas principais cidades paulistas mostra o PSDB com 10 prefeituras, incluindo a capital, seguido por Podemos (4), MDB (3), PSD, Republicanos e PT (2 cada) e PSB, DEM, PL, Patriota e PP (1 cada).

O PSDB, em comunicado, disse ser o partido mais votado do país e que vai governar, a partir do ano que vem, para o maior número de brasileiros.

“Pelos próximos 4 anos, estaremos no comando de 520 cidades, onde vivem 36 milhões de pessoas [16,2% da população]. Elegemos ainda 417 vice-prefeitos e 4.336 vereadores em todo o Brasil.”

O PSDB vai governar quatro capitais --São Paulo, Natal, Porto Velho e Palmas-- e outras 14 cidades com mais de 200 mil eleitores. Dessas, cinco são de outros estados: Caruaru (PE), Pelotas, Caxias do Sul e Santa Maria (as três no RS) e Governador Valadares (MG).

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.