Saiba quem são os pré-candidatos à Prefeitura de São Paulo em 2024

Disputa na maior cidade do país tem 11 pré-candidatos; eleição é em outubro

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

A eleição para a Prefeitura de São Paulo movimenta a pré-candidatura de 11 postulantes, numa disputa que tende a ser acirrada, polarizada e nacionalizada. A capital paulista tem 11,5 milhões de habitantes e um Orçamento de R$ 111,8 bilhões.

Montagem com os pré-candidatos em SP em ordem alfabética: Altino Prazeres (PSTU); Fernando Fantauzzi (DC); Guilherme Boulos (PSOL); José Luiz Datena (PSDB); João Pimenta (PCO); Kim Kataguiri (União Brasil); Marina Helena (Novo); Pablo Marçal (PRTB); Ricardo Nunes (MDB); Ricardo Senese (UP); Tabata Amaral (PSB) - Reprodução; Facebook; Rovena Rosa/Agência Brasil, Ricardo Stuckert/PR; Reprodução; Marlene Bergamo/ Folhapress; Reprodução/TV Globo; Divulgação; Edson Lopes Jr./Secom; Jornal A Verdade; Agencia Globo

Segundo a última pesquisa Datafolha, de março, o deputado federal Guilherme Boulos (PSOL) e o prefeito Ricardo Nunes (MDB) lideram a corrida empatados, com 30% e 29%, respectivamente.

A deputada federal Tabata Amaral (PSB) marcou 8%; seguida de Marina Helena (Novo), com 7%; do deputado federal Kim Kataguiri (União Brasil), com 4%; e de Altino (PSTU), com 2%.

Depois disso, outros nomes anunciaram ter a intenção de concorrer, como o apresentador de TV José Luiz Datena (PSDB), que já desistiu de entrar para a política em quatro ocasiões anteriores.

O PRTB, por sua vez, pretende lançar o coach e influenciador Pablo Marçal. Outros partidos nanicos também lançaram nomes —Fernando Fantauzzi (DC), João Pimenta (PCO) e Ricardo Senese (UP) são pré-candidatos.

Nunes, que era vice de Bruno Covas (PSDB) e assumiu a prefeitura após a morte do tucano em 2021, tenta a reeleição com o apoio de mais de 10 partidos, que integram a sua gestão.

Ele também obteve o apoio do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) e evitou que um bolsonarista fosse lançado, o que poderia dragar seus votos. Agora, o prefeito tenta se equilibrar entre fazer gestos à extrema direita e apresentar-se como um candidato de centro.

Seu principal oponente, Boulos, por sua vez, tem o presidente Lula (PT) como padrinho e o apoio do PT e de outras quatro siglas de centro-esquerda.

Ao tentar vincular Bolsonaro a Nunes, o deputado contribui para que a disputa paulista se organize em torno da polarização nacional entre bolsonaristas e petistas. Enquanto trabalha para melhorar sua rejeição, o líder do MTST (movimento sem-teto) aposta em repetir a vitória de Lula, que teve maioria na capital em 2022.

Tabata, com o apoio de Geraldo Alckmin (PSB), tenta encontrar espaço como alternativa entre Nunes e Boulos. Já Kim, do MBL (Movimento Brasil Livre) não tem a certeza sobre sua candidatura, porque a União Brasil ainda pode apoiar o prefeito.


PRÉ-CANDIDATOS À PREFEITURA DE SÃO PAULO

  • Altino (PSTU)
  • Fernando Fantauzzi (DC)
  • Guilherme Boulos (PSOL)
  • José Luiz Datena (PSDB)
  • João Pimenta (PCO)
  • Kim Kataguiri (União Brasil)
  • Marina Helena (Novo)
  • Pablo Marçal (PRTB)
  • Ricardo Nunes (MDB)
  • Ricardo Senese (UP)
  • Tabata Amaral (PSB)

CALENDÁRIO ELEITORAL

  • 06.abr: data-limite para a filiação partidária
  • 25.jul a 05.ago: convenções dos partidos
  • 15.ago: prazo para o registro de candidaturas
  • 30.ago a 03.out: propaganda eleitoral no rádio e na TV
  • 06.out: primeiro turno
  • 27.out: segundo turno
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.