Descrição de chapéu Seminário Combustíveis

Prefeito Bruno Covas anuncia para 2020 plano de ação climática para cidade de São Paulo

Covas falou durante abertura do seminário Oportunidades no Mercado de Combustíveis do Brasil

Prefeito de São Paulo, Bruno Covas, durante a abertura do seminário Oportunidades no Mercado de Combustíveis do Brasil
Prefeito de São Paulo, Bruno Covas, durante a abertura do seminário Oportunidades no Mercado de Combustíveis do Brasil - Reinaldo Canato/Folhapress
Leonardo Neiva
São Paulo

O prefeito Bruno Covas (PSDB), anunciou na terça-feira (16) o início dos trabalhos para a criação de um plano de ação climática para a cidade de São Paulo, fruto de um compromisso firmado pelo município no início do ano, de desenvolver até o final de 2020 um planejamento para contribuir com as metas do Acordo de Paris.

“Vamos começar a desenvolver as bases desse plano hoje em uma reunião na prefeitura. Ele deve ficar pronto em julho do ano que vem”, declarou o prefeito durante o seminário Oportunidades no Mercado de Combustíveis do Brasil, realizado pela Folha com patrocínio da Plural (que representa as distribuidoras de combustíveis).

O prefeito afirmou que a frota de ônibus da cidade, hoje com 14.256 veículos, já opera com diesel menos poluente do que o comercializado em postos de gasolina e que deverá passar a funcionar totalmente em conformidade com a lei de mudanças climáticas ainda em 2019.

Covas também citou a licitação do sistema de ônibus na cidade de São Paulo, hoje em fase de renovação. Segundo ele, o edital estipula metas para reduzir a emissão de gases como óxido de nitrogênio e material particulado (partículas produzidas geralmente pela queima de combustíveis fósseis), de acordo com a legislação vigente, devendo chegar a uma diminuição de 95% em 20 anos.

A tentativa de concluir o bilionário processo de licitação do sistema de ônibus na cidade se arrasta desde 2013. Em fevereiro, a gestão Covas finalmente conseguiu abrir os envelopes da licitação, mas o processo não deve gerar renovação, uma vez que as empresas são controladas pelos mesmos grupos que já prestam serviços na capital paulista.

Durante a palestra, na abertura do evento, Covas destacou ações de gestões anteriores para a renovação de combustíveis e práticas de sustentabilidade no transporte coletivo de São Paulo, afirmando que “política pública não é corrida de 100 metros rasos, mas de revezamento”.

Entre avanços, o prefeito citou a sanção em 2018 pelo então prefeito João Doria de lei municipal que determina a obrigatoriedade de redução progressiva das emissões de dióxido de carbono (CO2) de origem fóssil em ônibus municipais. Em 10 anos, deve haver uma diminuição de 50% na emissão de CO2 pelos veículos; em 20, a emissão do poluente deve zerar.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.