Revitalização da avenida Santo Amaro faz região liderar oferta de novos imóveis em São Paulo

Avenida passa por obras de melhoria que preveem canteiros verdes e ciclovia

São Paulo

As obras de revitalização da avenida Santo Amaro, uma das principais vias da zona sul de São Paulo, atraíram o interesse das construtoras e levaram a região a liderar a lista de bairros da cidade com mais lançamentos imobiliários em 2019.

O projeto de renovação da via, que liga a zona central a zona sul de São Paulo, foi aprovado pela prefeitura em 2016 e inclui canteiros verdes, ciclovia e calçadas com até 5 metros de largura. As obras começaram em 2018 e devem se estender até novembro de 2021.

Em um trecho de aproximadamente três quilômetros, entre as avenidas Presidente Juscelino Kubitschek e Avenida dos Bandeirantes, haverá aterramento da fiação e melhoria da sinalização, além de maior acessibilidade.

Em paralelo, as construtoras aproveitam para subir múltiplas torres, com apartamentos tipo estúdio voltados para o público que busca mobilidade. Foram 3.262 unidades lançadas entre janeiro e novembro de 2019, segundo o Secovi-SP (sindicato da habitação), o maior número entre todos os distritos da capital. Em seguida, estão Sacomã, com 2.022 unidades, e Vila Mariana, com 2.255.

“A predominância de lançamentos de empreendimentos na zona sul, especialmente de perfil econômico, é reflexo das mudanças urbanísticas que vêm acontecendo nos bairros dessa região”, afirma Celso Petrucci, economista-chefe do Secovi-SP.

A proposta, afinal, conversa com Plano Diretor Estratégico do Município de São Paulo, implementado em 2014, que estabelece uma série de incentivos a empreendimentos na região.

Os maiores beneficiados foram justamente os bairros por onde passam grandes eixos de transporte público. A perspectiva de melhoria urbana somada à boa infraestrutura e à localização estratégica é o tripé que impulsiona os lançamentos na região.

São imóveis de 50 m² a 92 m², com o preço que vai de R$ 5.842 a R$ 10.921 por metro quadrado, segundo levantamento da agência Lupa Apê 11, a partir de um estrato de imóveis a um raio de um quilômetro da estação Adolfo Pinheiro.

A Tecnisa, por exemplo, ergue dois novos prédios no bairro, a apenas 600 metros de distância um do outro e a cerca de 2.500 metros da estação Adolfo Pinheiro da linha 5-lilás.

“Nosso perfil é o comprador do primeiro imóvel, que está migrando de bairros mais periféricos para Santo Amaro, em busca de proximidade do local de trabalho, facilidade de locomoção e qualidade de vida”, diz Rafael Michelassi, gerente de negócios da empresa.

O Jardim Vista Bella terá quatro torres com apartamentos de 55 m² a 71 m², vendidos por preços a partir de R$ 413 mil. Perto dali, o Jardim Botânico trará estúdios de 43 m² distribuídos em duas torres de 18 andares. Custam R$ 195 mil.

Na área de lazer, ambos possuem horta comunitária, bicicletário e ponto para carregar bicicletas elétricas.

“São empreendimentos que trazem novos espaços e um pensamento voltado para a mobilidade, como bicicletário, e a sustentabilidade, como iluminação em LED e aproveitamento de águas pluviais”, afirma Michelassi.

O Air Brooklin, lançamento do portfólio da Eztec, mira o de alto padrão com “um hub de mobilidade” a 200 metros da estação Brooklin da linha 5-lilás.

O megaempreendimento, com entrega prevista para 2023, apresenta duas torres: uma residencial, com 663 unidades de 29 m² a 81 m², e outra corporativa, além de um shopping. O preço do metro quadrado, ali, é R$ 11,5 mil.

Na área comum, o espaço fitness será montado pela rede de academias Cia Athletica. O projeto, assinado pelo designer Carlos Ott, inclui piscina na cobertura, com vista para as luzes da avenida Santo Amaro.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.