Descrição de chapéu Games Governo Bolsonaro

Bolsonaro diz estudar redução de impostos para jogos eletrônicos

Nesta semana, presidente acenou aos gamers com vídeo em que joga game de tiro

Amanda Lemos
São Paulo

Atendendo a pedido dos internautas, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) disse neste sábado em sua conta no Twitter que o governo estuda reduzir impostos que incidem sobre jogos eletrônicos.

“Atualmente o IPI (imposto sobre produtos industrializados) varia entre 20% e 50%. Ultimamos estudos para baixá-los. O Brasil é o segundo mercado no mundo nesse setor”, escreveu o presidente.

Ainda nesta semana, Jair Bolsonaro acenou aos gamers com um vídeo em que joga um jogo eletrônico de tiro e disse: "Só para descontrair. Boa noite a todos".

Em julho, Bolsonaro sinalizou que o governo estuda reduzir impostos sobre a importação de produtos do setor de tecnologia da informação, como computadores e celulares, e chegou a mencionar a possibilidade de estender para jogos eletrônicos.

Jair Bolsonaro em encontro com o presidente da Argentina, Mauricio Macri - Ueslei Marcelino - 16.jan.19/Reuters

“Para estimular a competitividade e inovação tecnológica, o governo estuda, via secretaria do Ministério da Economia, a possibilidade de reduzir de 16% para 4% os impostos sobre importação de produtos de tecnologia da informação, como computadores e celulares”, tuitou. "Avaliaremos também a possibilidade para jogos eletrônicos."

Mercado brasileiro

De acordo com o 2º Censo Indústria Brasileira de Jogos Digitas, realizado pelo Ministério da Cultura e pela Unesco (braço da ONU para educação), o mercado de jogos eletrônicos cresceu em todas as regiões do país.

Entre 2014 e 2018, o número de empresas que desenvolvem games saltou de 142 para 375, representando um crescimento de 164%.

O estudo também mostra que foram produzidos 1.718 jogos, sendo 43% deles para dispositivos móveis, 24% para computadores, 10% para plataformas de realidade virtual e 5% para consoles de videogame.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.