São Paulo

A cidade do Coliseu dá aulas de história e gastronomia

Apresentação: Histórica é a palavra para definir Roma. É preciso andar muito para aproveitar a cidade do Coliseu e do Fórum Romano. Há museus e galerias de arte interessantes, como a Borghese e o mais novo museu de arte contemporânea Maxxi, projetado pela arquiteta Zaha Hadid, pontos turísticos muito concorridos, como a Fontana di Trevi, e bairros gostosos para passear, como o Trastevere. Na capital italiana também está o Vaticano, um estado independente, mas que tem sua visita associada à cidade. Para ter uma vista de 360 graus, suba no Castelo Santo Ângelo, que começou a ser construído no ano 135. Haja história. 

Quando ir: O verão é quente em Roma, com máximas superiores a 32º C em agosto. Como é um destino que exige muita caminhada, é melhor evitar a estação, se possível. O período também é o mais cheio de turistas. O inverno não é tão frio, mas chove bastante. Meses bons são os de estações intermediárias, principalmente abril, maio e setembro.

O que comer: Tudo! Roma é um destino gastronômico e come-se bem em qualquer faixa de preço. Desde as pizzas romanas em pedaços, com borda mais fofa e grossa, até as massas tradicionais, como o macarrão cacio e pepe, com queijo pecorino e pimenta do reino, ou o carbonara, com ovos, pimenta do reino, guanciale e queijo pecorino. Para sobremesa, há uma infinidade de gelatos.

Sinta-se lá: O filme Anjos e Demônios (2009), baseado no livro de Dan Brown, se passa em Roma e no Vaticano, e conta a história de um sequestro de cardeais candidatos a papa, tudo associado aos Illuminati.

Confira o que fazer nos 50 destinos eleitos pelo júri de Turismo

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.