Maior parte das operadoras de turismo espera retomada em 2021

A crise do coronavírus gerou até agora um prejuízo de R$ 3,9 bilhões para o setor

São Paulo

A crise do coronavírus gerou até agora um prejuízo de R$ 3,9 bilhões para as operadoras de turismo no país, segundo a Braztoa, associação que reúne as empresas responsáveis por 90% das viagens organizadas de lazer.

Em março, 45% das operadoras não realizaram nenhuma venda. Outras 45% tiveram, no máximo, um décimo do volume comercializado no mesmo mês do ano passado.

Entre as vendas efetuadas, cerca de 70% são para embarque no segundo semestre. Isso significa que as viagens podem ficar comprometidas caso as medidas de restrição à circulação forem estendidas, complicando ainda mais a situação das companhias.

Apenas 12% dos associados preveem que haverá retomada no mês de julho e 36%, no segundo semestre. Já 43% apontam que a situação só deve voltar ao normal em 2021 e 9% dizem não conseguir fazer previsões neste momento.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.