Governo Trump muda norma jurídica e aperta cerco à maconha nos EUA

Crédito: Robyn Beck - 1º.jan.2017/AFP Loja de maconha legalizada em Desert Hot Springs, Califórnia, no primeiro dia da legalização da substância no Estado
Loja de maconha em Desert Hot Springs, Califórnia, no primeiro dia da legalização da substância

SILAS MARTÍ
DE NOVA YORK

Uma nova decisão de Donald Trump ameaça acabar com a festa de empresários que planejam lucrar com a maconha. A erva recém-legalizada para uso recreativo na Califórnia e já liberada em outros seis Estados americanos pode entrar na mira de juízes.

Esse é mais um capítulo da cruzada do presidente para desfazer o legado de seu antecessor, Barack Obama, que orientou os tribunais federais a não processarem Estados que legalizassem a maconha.

O anúncio de Trump coincide com os primeiros dias em que a droga pode ser usada para fins recreativos na Califórnia, o maior mercado mundial para a erva. Enquanto investidores se preparam para se adequar às regras, Washington ameaça processar.

Nos Estados Unidos, leis federais proíbem o uso, a venda e o cultivo da planta. Mas a situação ficou mais ambígua há cinco anos, quando os Estados de Colorado e Washington decidiram descriminalizar o consumo da droga.

Na tentativa de sanar o ruído entre tribunais regionais e a lei nacional, Obama orientou juízes a não perseguir crimes envolvendo compra, venda e uso da maconha a não ser em casos envolvendo o comércio para menores de idade ou suspeitas de atividade de gangues e outros crimes.

Os maiores prejudicados pela medida podem ser empresários que investiram na indústria bilionária da maconha, abrindo galpões para o plantio e montando fábricas de produtos derivados, como doces e bebidas que levam a substância em suas receitas.

No Colorado, a indústria movimenta US$ 1 bilhão por ano. A expectativa na Califórnia é que os negócios relacionados à maconha possam render até US$ 10 bilhões.

Em sua nova diretriz, Trump está em sintonia com a opinião de Jeff Sessions, seu secretário de Justiça. Desde que assumiu o cargo, Sessions deixa claro a sua oposição à legalização da droga.

Crédito: Flávio Sampaio/Folhapress Plantação de maconha da fazenda Hifi, em Hillsboro, Oregon
Plantação de maconha da fazenda Hifi, em Hillsboro, Oregon
Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.