Painel

Editado por Guilherme Seto (interino), espaço traz notícias e bastidores da política. Com Danielle Brant

Salvar artigos

Recurso exclusivo para assinantes

assine ou faça login

Painel

Candidatos do Novo são impedidos por manifestantes de dar palestra na Unicamp

Fernando Holiday, Leo Siqueira e Lucas Pavanato falariam sobre cotas e financiamento da universidade

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Três pré-candidatos a deputados pelo Partido Novo em São Paulo foram impedidos de dar uma palestra por manifestantes de esquerda na Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) na noite desta quarta-feira (29). Eles disseram terem sido agredidos.

Pré-candidatos do Novo são impedidos de dar palestra na Unicamp - Reprodução

Fernando Holiday, que pretende disputar vaga na Câmara dos Deputados, além de Leo Siqueira e Lucas Pavanato, que concorrerão à Assembleia Legislativa, iriam falar sobre as cotas e o financiamento das universidades públicas em um teatro do campus.

Ideologicamente de direita, eles defendem mudanças ou aperfeiçoamento no atual modelo de cotas e defensores da cobrança de mensalidade nas universidades. O evento foi organizado pela União Juventude e Liberdade (UJL), entidade estudantil liberal.

Antes do início do ato, foram cercados por algumas dezenas de manifestantes de movimentos de esquerda.

"Recua, fascista, recua, a Unicamp nunca vai ser sua", cantavam os ativistas, com bandeiras e instrumentos de bateria.

Houve empurra-empurra e xingamentos, e a palestra acabou não acontecendo. "Infelizmente não conseguimos falar sobre as nossas propostas, mas mostramos a verdadeira face dessa galera que quer voltar ao poder no nosso país", afirmou Holiday.

Segundo Siqueira, os manifestantes são os "verdadeiros fascistas de esquerda". "Agrediram a gente, deram soco nas costelas, jogaram água, arrebentaram o nosso microfone, tudo por medo da verdade", afirmou o pré-candidato.

Os três pré-candidatos afirmam que precisaram ser escoltados pela segurança da universidade até a saída do campus.

Em nota, a UJL afirmou que os estudantes arrebentaram o cabo de um microfone, ocuparam o palco, empurraram e socaram os organizadores, enquanto batucavam com tambores enquanto cantavam palavras para expulsá-los.

"O DCE [Diretório Central dos Estudantes] soltou uma mensagem nos grupos da Unicamp chamando todo mundo para participar do boicote ao nosso evento, e num piscar de olhos eles já estavam em cima do palco. Quando o Fernando Holiday chegou, os ânimos se exaltaram e eles começaram a empurrar, a socar, inclusive eu tomei vários socos nas costas", diz João Braga, coordenador estadual da entidade.

Já o Partido Novo afirmou que "condena veementemente a atitude truculenta dos manifestantes que agrediram e impediram a participação dos pré-candidatos do partido" no evento.

"O ambiente acadêmico deveria ser aberto à pluralidade de ideias, onde a cordialidade e o respeito ao contraditório deveriam prevalecer. O partido se solidariza com seus membros, e espera que a Unicamp tome as devidas providências para evitar que episódios semelhantes se repitam no futuro", afirma.

LINK PRESENTE: Gostou deste texto? Assinante pode liberar cinco acessos gratuitos de qualquer link por dia. Basta clicar no F azul abaixo.

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Tópicos relacionados

Leia tudo sobre o tema e siga:

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.