Painel

Editado por Guilherme Seto (interino), espaço traz notícias e bastidores da política. Com Catarina Scortecci e Danielle Brant

Salvar artigos

Recurso exclusivo para assinantes

assine ou faça login

Painel
Descrição de chapéu São Paulo Eleições 2024

Caciques de PL e União Brasil discutem alternativa a Nunes em SP

Líderes de dois dos maiores partidos da aliança do prefeito se queixam de soberba e falta de espaço

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

Lideranças do União Brasil e do PL em São Paulo têm manifestado irritação com o prefeito Ricardo Nunes (MDB), a quem atribuem soberba e "espírito de já ganhou" em relação à disputa eleitoral deste ano, e começaram a discutir o lançamento de uma chapa alternativa que possa representar os dois partidos na disputa.

Segundo esses caciques, o prefeito não tem dado a atenção esperada aos pleitos dos aliados, que estariam sem espaço na gestão municipal e na pré-campanha.

PL e União Brasil estão entre os maiores partidos da aliança de Nunes, e um eventual desembarque, discutido ainda embrionariamente, poderia levar dano considerável à pré-campanha.

O prefeito de São Paulo, Ricardo Nunes - Divulgação/Prefeitura de SP

Além deles, MDB, Republicanos, PP, Podemos, PSD, Solidariedade, Avante, PRD, Agir e Mobiliza fazem parte do arco de apoio de Nunes atualmente.

No caso do PL, o próximo passo deve ser levar as queixas a Jair Bolsonaro, o que deve acontecer nos próximos dias. Segundo os caciques da legenda que estão descontentes com Nunes, seria fácil construir a unidade em torno de outro nome na sigla com o apoio do ex-presidente.

Eles acreditam que Bolsonaro pode aderir à ideia diante da possibilidade de emplacar um nome na cabeça da chapa ou como vice. Ele sugeriu a Nunes o coronel da reserva da Polícia Militar de São Paulo Ricardo Mello Araújo como vice, mas a indicação não foi bem recebida e deve ser descartada.

No União Brasil, o presidente da Câmara Municipal de São Paulo, Milton Leite, tem pleiteado a vice do emedebista, mas sem sucesso. No caso de formação de uma nova chapa, ele poderia ocupar o posto ou poderia indicar um nome.

Nos últimos dias, lideranças do PL debateram a possibilidade de apoiar Tabata Amaral (PSB) na eleição. O deputado federal Antonio Carlos Rodrigues, principal liderança histórica do PL em São Paulo, esteve com ela na terça-feira (14) e tratou da eleição na capital.

No entanto, as chances são consideradas pequenas, devido à forte participação do PSB no governo Lula (PT) e à provável aliança da sigla com o PT em 2026.

Outro nome na mesa é o do coach Pablo Marçal, que já é pré-candidato pelo PRTB. O partido procurou o União Brasil para oferecer a vice, o que inicialmente foi recusado.

No entanto, agora os líderes de União e PL passaram a considerar a possibilidade de compor com a sigla fundada por Levy Fidélix para construir uma alternativa viável ao emedebista.

LINK PRESENTE: Gostou deste texto? Assinante pode liberar cinco acessos gratuitos de qualquer link por dia. Basta clicar no F azul abaixo.

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.