Restaurante de brasileiro em Paris ganha uma estrela Michelin

Oka, do carioca Raphael Rego, mistura culinária francesa e brasileira com ingredientes amazônicos

São Paulo

O restaurante parisiense Oka, do chef brasileiro Raphael Rego, recebeu nesta segunda (21) sua primeira estrela Michelin.

A casa do carioca de 34 anos, que mora na capital francesa há mais de dez e que, antes, morou na Austrália, propõe uma culinária de inspiração francesa e brasileira, usando ingredientes amazônicos. A cozinha usa cerca de 80 ingredientes importados do Brasil.

Raphael Rego, do restaurante francês Oka, que recebeu uma estrela Michelin
Raphael Rego, do restaurante francês Oka, que recebeu uma estrela Michelin - Popfilmes/Divulgação

Rego abriu em 2014 um restaurante de mesmo nome, Oka, fechado tempos depois. Ali ele recebeu a classificação Bib Gourmand, a categoria do Guia Michelin para restaurantes com preços acessíveis. 

Em março de 2018, ele voltou à proposta da alta cozinha num novo empreendimento, que renomeou Oka.

Nesta segunda, 68 restaurantes da França receberam sua primeira estrela Michelin. Estima-se que ganhar uma estrela do prestigioso guia aumente em 30% os ganhos de um restaurante.

Segundo o guia, uma estrela indica uma cozinha muito bem executada, que vale conhecer; duas, uma cozinha excepcional, que vale o desvio no caminho; e três, uma cozinha única, que vale a viagem.

A edição francesa do guia estará à venda a partir de sexta (25).

Após esta premiação, os restaurantes estrelados chegam a 3.000 no mundo todo.

Em maio de 2018, o restaurante paulistano Tuju, do chef Ivan Ralston, e o carioca Oro, do chef Felipe Bronze, receberam duas —das três estrelas possíveis— do “Guia Michelin Rio de Janeiro & São Paulo”.

Até 2017, apenas o paulistano D.O.M, de Alex Atala, possuía duas estrelas —classificação que se manteve neste ano. Nenhum brasileiro possui três estrelas.

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.