Descrição de chapéu Tragédia em Brumadinho

Raquel Dodge diz que executivos da Vale podem ser penalizados por rompimento em Brumadinho

Sistema de Justiça deve demonstrar que casos como esse são prioridade, afirma procuradora geral

São Paulo | Reuters

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, afirmou nesta segunda-feira que executivos da Vale podem ser penalizados pelo rompimento de uma barragem da empresa em Brumadinho (MG) que deixou dezenas de mortos e centenas de desaparecidos, e que a mineradora precisa ser responsabilizada severamente.

"É muito importante que o sistema de administração de Justiça dê uma resposta eficiente dizendo que este caso, esse tipo de responsabilidade, deve ser tratado como prioridade dentro do sistema de Justiça", disse Dodge a repórteres em evento em São Paulo.

"É também preciso responsabilizar severamente do ponto de vista indenizatório a empresa que deu causa a este desastre, e também promover a persecução penal", afirmou. "Executivos podem ser penalizados também."

A Justiça de Minas Gerais já decretou bloqueios de R$ 11 bilhões da Vale para garantir a recuperação de danos causados às vítimas e para a recuperação ambiental da área afetada pelo rompimento da barragem em Brumadinho na sexta-feia.

A Vale informou, no domingo (27), que assim que foi intimada da decisão de bloqueio de R$ 1 bilhão, o primeiro determinado, apresentou petição informando que fará o depósito do valor, sem necessidade de bloqueio judicial, e que estava "avaliando as providências cabíveis" quanto a dois bloqueios de R$ 5 bilhões.

Segundo a mais recente atualização de números de vítimas da tragédia, divulgada na noite de domingo pelos bombeiros, o rompimento da barragem deixou 58 mortos e 305 desaparecidos após uma enorme avalanche de lama de rejeitos que atingiu comunidades e área administrativa da própria Vale.

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.