Descrição de chapéu Dias Melhores

Paraty e Ilha Grande passam a ser reconhecidos como Patrimônio Mundial da Unesco

Brasil passa a ter agora 22 locais na lista das Nações Unidas; é o primeiro sítio misto, histórico e natural, reconhecido no Brasil

Thiago Amâncio
São Paulo

O Comitê do Patrimônio Mundial da Unesco reconheceu a cidade histórica de Paraty e a região de Ilha Grande (RJ) como patrimônio histórico e natural da humanidade. O Brasil tem, agora, 22 locais reconhecidos na lista das Nações Unidas.

O reconhecimento ocorre às vésperas do evento mais importante do ano na cidade histórica, a Festa Literária Internacional de Paraty.

A classificação como patrimônio da humanidade foi dada não só ao centro histórico da cidade colonial de Paraty como à paisagem da região da baía de Ilha Grande, que envolve uma área de 149 mil hectares –incluindo trechos no estado de SP–, com quatro áreas de conservação (como o Parque Nacional da Serra da Bocaina e o Parque Estadual da Ilha Grande), além de 187 ilhas no total.

 É o primeiro sítio misto, histórico e natural, do Brasil. Há outros 38 lugares assim reconhecidos pelo mundo, como Machu Picchu, no Peru.

Levantamento do Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Natural) aponta que há, na região, 36 espécies vegetais consideradas raras, numa região de Mata Atlântica com forte presença de aves e sapos e pererecas, além de registros de mamíferos como a onça-pintada e o muriqui, maior primata do continente americano.

Há também 2 terras indígenas, 2 territórios quilombolas e 28 comunidades caiçaras. Os primeiros registros de povoamentos datam de 4.000 anos atrás, diz o órgão, com vestígios de ocupação em cavernas e estruturas subterrâneas e submersas.

Fundada em 1667, Paraty foi uma das cidades portuárias mais importantes do período colonial, por ser o fim da movimentada rota de escoamento do ouro minerado em Minas Gerais. 

O conjunto arquitetônico da cidade já é tombado pelo Iphan desde 1958. O reconhecimento agora cria "um compromisso internacional de preservação do local", diz o órgão.

"O planejamento de gestão compartilhada do sítio, envolvendo diversas representações locais, define a matriz de responsabilidades de todos os parceiros. O plano mapeia riscos e aponta ações para minimizar possíveis ameaças ao valor universal excepcional de Paraty e Ilha Grande."

Outro impacto também deve ocorrer no turismo, com a projeção internacional.

Mapa de litoral
Área de preservação de Paraty, que integra dossiê para candidatura a Patrimônio Cultural e Natural da Unesco - Iphan/Divulgação

Na baía de Ilha Grande fica a Estação Ecológica de Tamoios, que o presidente Jair Bolsonaro afirmou querer transformar em uma espécie de "Cancún brasileira".

"Nós podemos ser protagonistas de fazer com que a baía de Angra seja uma nova Cancún. Temos um potencial enorme ali. Do que nós dependemos para começar a tirar esse sonho do papel? De uma caneta bic, revogando um decreto, o decreto que demarcou a Estação Ecológica de Tamoios", afirmou o presidente em maio.

Foi lá que ele foi multado em R$ 10 mil pelo Ibama por pesca ilegal em janeiro de 2012. Em março deste ano, com Bolsonaro já presidente, o fiscal que o multou foi exonerado

A estação ecológica em si não foi considerada patrimônio, mas está na área do entorno do sítio reconhecido pela Unesco. O ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antonio, comemorou. "Essas localidades vão potencializar o turismo nacional e, certamente, aumentarão o número de turistas no país e na região", disse, segundo nota do governo.

Paraty sofre com problema de saneamento básico —não há estação de tratamento de esgoto na cidade. Para o secretário Municipal de Turismo, Edson Moura Ribeiro, o título "traz mais responsabilidade à cidade".

"É um incentivo para que os futuros governantes, as pessoas que gerem a cidade, tenham um compromisso também. Há uma série de compromissos feitos com a Unesco, e o saneamento está na carta", diz ele.

Segundo dados do Ministério do Desenvolvimento Nacional de 2017, o índice de atendimento de água é 72,4% na cidade e de 98% na região urbana.

A cidade também é uma das mais violentas do Rio de Janeiro

Hoje, outros 1.092 lugares do mundo têm o título de patrimônio mundial. Deles, 21 estão no Brasil, além de Paraty: 14 são considerados patrimônios culturais (como Brasília e os centros históricos de Ouro Preto, Salvador e Olinda, entre outros), e 7, naturais (como a Área de Conservação do Pantanal e o Parque Nacional do Iguaçu).


ALGUNS DOS OUTROS PATRIMÔNIOS MUNDIAIS DA UNESCO NO BRASIL

Patrimônio cultural

  • Cidade Histórica de Ouro Preto (MG)
  • Centro Histórico de Olinda (PE)
  • Centro Histórico de Salvador (BA)
  • Plano Piloto de Brasília (DF)
  • Parque Nacional da Serra da Capivara (PI)
  • Paisagens do Rio de Janeiro
  • Conjunto Moderno da Pampulha (MG)

Patrimônio natural

  • Parque Nacional do Iguaçu (PR)
  • Costa do Descobrimento (BA e ES)
  • Áreas Protegidas da Amazônia Central
  • Áreas Protegidas do Pantanal (MT e MS)
     
Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.