Descrição de chapéu Obituário Maria Isabel Valentini Saghy (1946 - 2020)

Mortes: Fez história na educação ao impor respeito com amor

Atualmente, Maria Isabel Valentini Saghy trabalhava como orientadora educacional

São Paulo

Saber impor autoridade sem ser autoritária era uma das habilidades da professora e orientadora educacional Maria Isabel Valentini Saghy.

A bronca, quando necessária, começava com um olhar que falava por si só. Logo depois, vinha o sorriso encantador, como um bálsamo.

Esse equilíbrio nas emoções também era responsável por Maria Isabel ser querida por alunos, pais e colegas de profissão.

Maria Isabel Valentini Saghy (1946-2020) e o marido Roberto Saghy
Maria Isabel Valentini Saghy (1946-2020) e o marido Roberto Saghy - Arquivo pessoal


Ela viveu para a educação. Só no Colégio Rio Branco, foram 42 anos de dedicação, segundo sua irmã, a aposentada Maria Olívia Valentini Montenegro, 78.

Nascida em São Paulo, Maria Isabel era a caçula de seis irmãos. O mimo excessivo por parte de uma tia, de acordo com Maria Olívia, lhe deu o título de chorona.

“Cada vez que ela chorava, ganhava um risco no friso de uma porta na copa de casa. O fato ficou famoso na família”, lembra Maria Olívia.

Maria Isabel fez magistério. Casou-se aos 21 anos com Roberto Saghy, hoje com 79 anos. Ambos se conheceram na rua onde moravam, no bairro da Luz (centro).

“Meu pai veio da Hungria com a roupa do corpo, foragido da Segunda Guerra. Namoraram cinco anos e ficaram 53 casados”, conta a filha, a professora Cristina Saghy Kassab, 53.

Após o casamento, Maria Isabel cursou psicologia. Ela iniciou na profissão como vice-diretora de uma escola dentro do Clube Regatas do Tietê (zona norte), extinto em 2012, e de lá foi para o Rio Branco, onde lecionou para o ensino fundamental e depois tornou-se orientadora educacional.

O mimo na infância não impediu que Maria Isabel se tornasse uma mulher forte e determinada. Bem-humorada, era dona de uma conversa leve e talentos culinários.

“Ela gostava de cozinhar e reunir a família. Fazia bacalhau como ninguém e toda festa tinha que ter o ‘sorvete delírio’ dela”, diz Cristina.

Maria Isabel Valentini Saghy morreu no dia 23 de setembro, aos 74 anos, de câncer no pulmão. Deixa o esposo, três filhos e cinco netos.

coluna.obituario@grupofolha.com.br

Veja os anúncios de mortes

Veja os anúncios de missa

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.