Descrição de chapéu Obituário Maria Helena Carvalho Brandão Oliveira (1949 - 2021)

Mortes: Com doce firmeza, ajudou a consolidar o SUS no país

Com dezenas de amigos e 24 afilhados, Maria Helena ajudou municípios a organizar assistência à saúde

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

Com décadas de atuação em saúde pública e trabalho reconhecido em diversas partes do país, Maria Helena Carvalho Brandão Oliveira fazia questão de dizer que seu currículo registrava mais dois feitos fundamentais: abrigou em casa dez sobrinhos e tinha 24 afilhados.

Tão importante para ela quanto o SUS (Sistema Único de Saúde), ao qual dedicou a vida, eram os afetos. Nos dois aspectos da vida, fez questão de cultivá-los.

Era a única menina de uma família de nove filhos. Apartada das brincadeiras “de menino”, desenvolveu um senso agudo de observação de tanto olhar os irmãos.

Maria Helena Brandão Oliveira, à frente de roda gigante
Maria Helena Carvalho Brandão Oliveira, que ajudou a consolidar o SUS nos municípios - Arquivo pessoal

Formada em serviço social, especializou-se em saúde. Atuou na secretaria municipal de Uberlândia, na secretaria estadual de Minas e no Ministério da Saúde. Viajou por toda a parte para ajudar municípios a consolidar a rede de atendimento.

Gostava de lembrar do atributo que um treinamento de recursos humanos reconheceu em si: a doce firmeza. Na família, era a grande matriarca desde a morte da mãe. Todo sábado, reunia um animado grupo de cerca de 20 pessoas para almoçar. Na Páscoa, era quem escondia os ovos para as crianças.

Ajudava as pessoas de quem gostava tanto com conselhos como financeiramente, lembra o sobrinho Rafael. “Ela tinha uma abordagem específica para cada pessoa. Dizia que relacionamentos precisam ser cuidados”, conta.

Tanto afeto e dedicação se refletiram no final da vida. Após ser diagnosticada com câncer em dezembro, ela não ficou sozinha nem por um minuto. Parentes e amigos organizaram um grupo de 15 a 20 pessoas que se revezaram para lhe fazer companhia. Ouviam dela o quanto a condução do enfrentamento à pandemia de Covid no Brasil lhe deixava desgostosa.

Maria Helena morreu no último dia 8. Deixa o filho, Pedro, e dois netos, Alex e Olivia. A missa de sétimo dia será neste domingo (14), na Paróquia de São Mateus, em Belo Horizonte.

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.