Descrição de chapéu Fuvest

Fuvest divulga lista de aprovados na USP em 2019; confira

Com mudanças no vestibular, 128 mil candidatos disputaram 8.362 vagas

Amanda Lemos
São Paulo

​A Fuvest divulgou na manhã desta quinta-feira (24) a lista de aprovados na USP (Universidade de São Paulo) em 2019.

Diferentemente dos anos anteriores, a lista com os resultados dos candidatos treineiros, os que fazem o exame para conhecer como funciona a prova, será publicada no dia 6 de fevereiro. Eles “disputavam” 900 vagas.

Confira aqui a lista de aprovados.

Para realizar a matrícula o candidato aprovado deve passar por duas etapas —uma online, no site da fundação, das 8h do dia 28 de janeiro às 15h59 do dia 29 de janeiro, e outra presencial, nos dias 27 e 28 de fevereiro. 

Nesta segunda fase é preciso comparecer no serviço de graduação da unidade (escola, faculdade ou instituto) responsável pelo curso escolhido.

Os documentos necessários na etapa presencial são RG, uma foto 3x4 recente —tirada há menos de um ano—, certificado de conclusão do ensino médio (ou equivalente) e histórico escolar. No caso de alunos graduados, é exigido também o diploma (original e cópia).

A Fuvest 2019 teve 127.786 inscritos para as 8.362 vagas em 183 cursos de graduação. Somente 35.371 passaram para a segunda fase. Desse total, 32.178 eram candidatos a vagas oficiais e 3.193 eram treineiros —estudantes que ainda não concluíram o ensino médio e que não podem se matricular com esse resultado.

Para quem não passou de primeira, ainda há chance, caso nem todas as vagas sejam preenchidas. Ao todo serão nove listas: cinco de chamadas e quatro convocações de espera, a partir das quais o candidato deve manifestar interesse nos cursos com vagas remanescentes.

Próximas chamadas

2ª chamada - 1º de fevereiro
3ª chamada - 8 de fevereiro
4ª chamada - 15 de fevereiro
5ª chamada - 22 de fevereiro

Lista de espera

Manifestação de interesse - 27 de fevereiro
1ª convocação - 7 de março
2ª convocação - 12 de março
3ª convocação - 15 de março
4ª convocação - 20 de março

Hora de fazer a matrícula na USP

Matrícula está dividida em duas etapas

  1. Online

    O candidato aprovado deve confirmar pela internet, das 8h do dia 28 de janeiro às 15h59 do dia 29 de janeiro, no site www.fuvest.br

  2. Presencial

    Nos dias 27 e 28 de fevereiro no serviço de graduação da unidade (escola, faculdade ou instituto) responsável pelo curso escolhido

  3. Documentos obrigatórios

    Uma foto 3x4 recente, com menos de um ano; Documento de identidade; Certificado de conclusão de curso do ensino médio (ou equivalente), respectivo histórico escolar ou diploma do curso superior devidamente registrado (original e uma cópia)

Mudanças

Neste ano, a Fuvest reformulou alguns procedimentos e métodos de avaliação. 

Além da carreira, os candidatos tiveram que escolher logo na inscrição do vestibular o perfil da vaga ao qual iriam concorrer: ampla concorrência (sem exigência de pré-requisito), escola pública (independente da renda) ou escola pública PPI (autodeclarados pretos, pardos e indígenas, independente da renda, que tenham cursado o ensino médio em escola pública).

Assim como no Sisu (Sistema de Seleção Unificada), cada modalidade teve sua nota de corte segregada. A medida foi tomada visando melhorar os índices de inclusão de alunos vindos de escolas públicas na universidade.

A USP reservou 40% de suas vagas por curso para estudantes da rede pública, considerando a Fuvest e o Sisu. Desse número, 37,5% das vagas são exclusivas para PPIs.

O objetivo da universidade é aumentar gradualmente para 50% a proporção de vagas reservadas até 2021. Em 2017, a USP tinha 59 mil alunos de graduação.

A Fuvest também fez mudanças na segunda fase. Anteriormente aplicada em três dias, a edição de 2019 encurtou para dois dias de prova, que foram realizadas nos dias 6 e 7 de janeiro. Além disso, neste ano a fundação mudou para quatro candidatos convocados por vaga.

Vagas: o que mudou

Objetivo é que 50% seja destinada à cotas até 2021

  1. Como era

    Vestibulandos concorriam todos entre si, mas oriundos da escola pública e pretos, pardos e indígenas tinham vagas reservadas e ganhavam bônus de até 25% na nota

  2. Como ficou

    Bônus foi extinto e candidatos não competem mais todos entre si, mas dentro de três grupos: ampla concorrência (60% das vagas); egressos da escola pública (40% das vagas); pretos, pardos e indígenas vindos de escolas públicas (37,5% dos 40% acima)

Segunda fase: o que mudou

Fuvest encurtou segunda fase para dois dias

  1. Como era

    Três dias de prova dissertativa, sendo: no primeiro, português e redação; no segundo, todas as matérias do ensino médio; no terceiro, as específicas da carreira (até três); até três vestibulandos eram convocados por vaga (no ano passado, número foi de 2,4)

  2. Como ficou

    Antigo segundo dia foi extinto. Prova agora cobra, em dois dias: no primeiro, português e redação; no segundo, matérias específicas da carreira (que agora podem ser até quatro); quatro candidatos convocados por vaga

Tópicos relacionados

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.