Descrição de chapéu MBA e Pós-graduação

Compare os tipos de pós e veja qual deles é o mais indicado a seu perfil

MBA, por exemplo, é opção para qualquer um que tenha de gerir uma equipe

São Paulo

Há vários tipos de pós-graduação no Brasil. Divididas entre os grandes grupos stricto sensu (mestrado e doutorado) e lato sensu (especializações, o que inclui MBAs), os cursos são opções para quem quer continuar estudando após a graduação na universidade, mas têm diferenças importantes entre como preparam os estudantes.

Quem opta pelo primeiro grupo geralmente quer seguir carreira acadêmica, como professor ou pesquisador, mas o mercado também tem absorvido mais esse tipo de profissional nos últimos anos.

“De uns cinco anos para cá, com a ampliação do número de graduados que tivemos no país, esse diferencial passou a ser mais buscado. O papel desses cursos mudou, há mestrados mais atuais, com professores que atuam no mercado e buscam ensinar mais que apenas a teoria”, diz Gênis Fidelis, gerente da recrutadora Michael Page. Ele destaca a área de recursos humanos como uma das quais esse movimento é visível.

Claudia Liz

Uma opção para os profissionais que quer mesclar teoria e prática é aderir ao mestrado profissional.
O doutorado, por sua vez, é opção, além dos que vão para a vida acadêmica, daqueles que já têm trajetória consolidada no mercado de trabalho e querem seguir aprendendo. “É para aquele profissional que tem segurança, que tem certeza que quer ser um proprietário de informação”, diz Carolina Cabral, gerente da recrutadora Robert Half.

Já no mundo lato sensu, os MBAs são, por definição, uma especialização em administração e, portanto, costumam atrair mais profissionais da área, mas há espaço em todos os setores.

“A gente vê muita gente de outras carreiras que se vê deparada com desafios de gestão, porque assume a responsabilidade de comandar uma equipe, e aí vai se especializar”, diz Bruna Losada, vice-diretora geral da Saint Paul Escola de Negócios.

As outras especializações são, como o próprio nome dá a entender, cursos para quem almeja melhorar suas habilidades em um determinado tema.

“Esse tipo de curso é para quem busca se aprofundar em um assunto que tem conhecimento genérico. São muito corriqueiras na área de saúde especializações para melhorar remuneração e empregabilidade”, afirma Carolina, da Robert Half.

Além do que se aprende nas pós-graduações em si, independentemente do tipo escolhido pelo aluno, algo apreciado por gestores é a iniciativa de os trabalhadores continuarem estudando.

“A proatividade do profissional de buscar aprender e a capacidade de buscar conhecimento dentro da empresa mostram seu interesse de ficar antenado, aberto a conhecimento, de não ficar preso às teorias que aprendeu na graduação”, diz Fidelis, da Michael Page.


Veja abaixo as diferenças entre os tipos de pós-graduação disponíveis no Brasil.

LATO SENSU
São as pós-graduações em sentido amplo, voltadas para algum tipo de especialização; priorizam a prática ao conteúdo e dão a seu concluinte um certificado, não um diploma. Dentro desse grupo há:

1. Especialização
É um aprofundamento numa determinada área na qual o profissional quer se desenvolver; pode ajudar, por exemplo, um profissional que começa a exercer uma função nova. Esses cursos devem ter no mínimo 360 horas e não exigem, desde 2018, trabalho de conclusão de curso (mas as instituições podem exigi-lo).
Especializações na área da saúde, em marketing digital e em tecnologia da informação são mais procuradas.
Uma especialização só pode ser oferecida por instituições autorizadas pelo Ministério da Educação, mas os cursos em si não precisam ser aprovados pelo órgão, o que lhes dá flexibilidade

2. MBA (Master in Business Administration)
São especializações na área de administração, nas quais o conteúdo é mais genérico.
Os programas são mais procurados por profissionais da área de negócios, mas também por trabalhadores de outras áreas quando assumem cargos de gestão, como médicos ou engenheiros que passam a comandar uma equipe.
Sua duração mínima é de 360 horas, mas os programas costumam ser mais longos e não exigem, desde 2018, trabalho de conclusão de curso (mas as escolas podem exigi-lo).
Um MBA só pode ser oferecido por instituições autorizadas pelo MEC

STRICTO SENSU
Pós-graduações em sentido limitado, que priorizam o conteúdo e a geração de conhecimento; são cursos geralmente procurados por quem quer carreira acadêmica; o concluinte recebe um diploma. Dentro desse grupo há:

1. Mestrado acadêmico
Duram dois anos; ao fim do percurso, o estudante deve apresentar uma dissertação. Se aprovado, ganha o título de mestre.
A opção é geralmente procurada por quem quer ir para a academia ou para a área de pesquisa.
São oferecidos por faculdades ou universidades e passam por avaliação periódica de qualidade pela Capes (órgão ligado ao MEC)

2. Mestrado profissional
Pós de dois anos, semelhante ao mestrado acadêmico, mas que busca dialogar mais com o mercado de trabalho, mesclando o aprofundamento teórico com a aplicação prática dos conceitos.
Recentemente, as empresas passaram a valorizar profissionais que fazem esse tipo de pós.
São oferecidos por faculdades ou universidades e passam por avaliação periódica de qualidade pela Capes

3. Doutorado
Pesquisa ainda mais aprofundada que o mestrado em determinado tema; dura entre quatro e cinco anos e também é majoritariamente procurado por membros da comunidade acadêmica que querem desenvolver conhecimento. Quem o conclui, vira doutor.
São oferecidos por faculdades ou universidades e passam por avaliação periódica de qualidade pela Capes

Comentários

Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.